Prefeito de cidade no interior do Maranhão é assassinado

Foto: Douglas Gomes/ PRB O prefeito de Davinópolis, Ivanildo Paiva (PRB), foi assassinado na noite deste sábado (11). De acordo com nota publicada no perfil do prefeito no Facebook, Paiva foi vítima de sequestro quando estava em sua chácara no povoado Jussara, no distrito de Davinópolis, oeste do Maranhão.  O corpo dele foi localizado por … Leia Mais


Ministro de Bolsonaro defende participação privada em universidades públicas

Foto : Divulgação/CNI A participação do setor privado nas universidades públicas e a alteração de leis para permitir investimento e doações diretas às instituições foi defendida hoje (6) pelo futuro ministro da Ciência e Tecnologia do governo Jair Bolsonaro (PSL), o astronauta Marcos Pontes. Para o futuro chefe da pasta de Ciência e Tecnologia, o Brasil … Leia Mais



EUA falam em aliança militar e econômica com Brasil e Colômbia

Foto : Ethan Miller/Getty Images Os Estados Unidos têm interesse em firmar alianças com os governos do Brasil e da Colômbia para aumentar a segurança e melhorar a economia na América Latina, informou hoje (1º) o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton. De acordo com Bolton, a avaliação é de que a eleição … Leia Mais



Nilo denuncia problemas financeiros da AL-BA; Coronel fala em ‘ponta de inveja’


O ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo (PSB), denunciou nesta terça-feira (30) que a Casa estaria passando por dificuldades financeiras. Em discurso com tom duro feito no plenário, ele disse que existe “clima de incerteza” na AL-BA, que servidores contratados via Reda serão demitidos e que os próprios deputados estaduais podem deixar de receber verba indenizatória a partir de novembro.

“Vários deputados, vários funcionários procuram informações e nem parlamentares da Mesa Diretora sabem a verdade da situação financeira da Assembleia Legislativa. Temos direito de saber a verdadeira situação financeira da Assembleia Legislativa da Bahia. Nenhum servidor pode ser demitido três meses antes e nem três meses depois da eleição. Verba indenizatória é lei aprovada nesta Casa”, defendeu Nilo.

Ele ainda alfinetou o fato de a Casa ter devolvido R$ 555 mil no ano passado, mas agora viver dificuldades financeiras. “Ano passado houve festa, deputados do governo e da oposição mostrando um cheque de R$ 555 mil, doado para uma instituição de caridade, porque a Assembleia teve superávit”, relembrou.

O presidente da AL-BA, Angelo Coronel (PSD), afirmou que o orçamento deste ano para a Casa está defasado e, por isso, vai precisar pedir suplementação ao governo do Estado para cobrir as despesas.

“O orçamento de 2018 foi aprovado há dois anos, praticamente sem reajuste em relação a 2017. Surgiram algumas despesas que não estavam no orçamento, como plano de cargos e salários, pagamento de indenização, o incêndio. Nossa equipe técnica está levantando os valores para pedir suplementação ao governo, via Secretaria da Fazenda”, afirmou.

Coronel ainda aproveitou para alfinetar o antecessor, ao relembrar que em sua gestão implementou o plano de cargos e salários para os funcionários, além de fazer acordo para não pagamento de uma dívida de R$ 1,2 bilhão.

“Saio da Casa com o coração tranquilo, porque consegui colocar o servidor para entrar de manhã e sair à tarde querendo voltar para cá com saudade. Tem pessoas que tiveram oportunidade de fazer e não fizeram e talvez fiquem com um pontinho de inveja, pois eu consegui fazer em menos de 2 anos e quem teve oportunidade não fez”, provocou. (Bahia Noticias)





Primeira viagem internacional de Bolsonaro será ao Chile


Foto: REUTERS/Ricardo Moraes

A primeira viagem internacional do futuro presidente da República será ao Chile, confirmou hoje (29) o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que tem feito o trabalho de articulação política de Jair Bolsonaro. Segundo o parlamentar, indicado para a Casa Civil, o compromisso foi acertado com o presidente chileno Sebastián Piñera. Lorenzoni aposta que a parceria com o país vizinho vai impulsionar um projeto de crescimento da região. “Podem ser irmãos na luta para construir o desenvolvimento.” Outra viagem ao exterior que está na programação é para os Estados Unidos. O parlamentar disse que Bolsonaro quer conversar com o presidente norte-americano, Donald Trump, que ontem (28) telefonou para o presidente eleito para parabenizá-lo. Lorenzoni lamentou o que chamou de “campanha de desconstrução da imagem” de Bolsonaro ao longo da campanha e reforçou que o Brasil terá um governo constitucional e que as instituições estão seguras.

Onyx Lorenzoni tem se debruçado, nos últimos dias, mesmo antes da conclusão da eleição, a estudar as orientações para o trabalho de transição. Há dois dias chegou a se reunir com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) para levantar informações sobre a estrutura administrativa do governo. O futuro ministro de Bolsonaro tem se empenhado também em tentar convencer o presidente eleito a permanecer mais alguns dias no Rio de Janeiro. Ele assegura, contrapondo informações de outros aliados, que o pesselista só irá a Brasília na próxima semana e as atividades e conversas com a equipe de Michel Temer só devem começar no dia 5. Hoje a equipe não tem compromissos e pretende descansar. Lorenzoni afirmou que amanhã (30), pela manhã, deverá ocorrer uma reunião com nomes próximos ao presidente eleito para “cuidar das coisas básicas administrativas”. Porém, há aliados que afirmam que ele se prepara para vir para Brasília nesta terça-feira. Bolsonaro tem que definir o grupo que irá participar da transição no escritório montado no Centro Cultural Banco do Brasil, na capital. Ele pode indicar até 50 pessoas, mas a aposta é que a equipe não passe de 20 nomes que precisam constar no Diário Oficial depois de confirmados. A expectativa do futuro ministro é que até sexta-feira (2) todos os detalhes estejam confirmados. (Noticias ao Minuto)


Tremores de terra em São Miguel das Matas e região são sentidos mais uma vez


Dois estrondos em sequência, um mais forte e outro mais fraco.

As 3:45 da manhã deste sábado (27) dois barulhos fortes foram sentidos em São Miguel das Matas e região.

Os dois estrondos, indicando ser tremores de terra aconteceram em sequência, um mais forte e outro mais fraco.

Muitas pessoas se manisfestaram pelas redes sociais, ratificando terem sentido a mesma coisa.

“A sensação foi muito ruim e quem mora em prédio balança tudo. Acordei asustado”, destacou Mirando Mota, que acrescentou. “Aqui no centro de São Miguel, muita gente saiu de suas casas e ficaram conversando”.

“Em Elísio eu assustei com um barulho como se fosse um trovão , estremeceu os vidros da janela, pensei que fosse bomba no Caixa eletrônico do Bradesco, pois já aconteceu outra vez”, destaca a Internauta Carmem Barreto.

“Eu estava no banheiro o box tremeu todo, o vaso sanitário tremeu. Sair correndo do banheiro com medo do vidro quebrar” destaca Nete moradora de Laje.

Relatos de pessoas que sentiram o tremor em Engenheiro Pontes, Laje, Corra- Mão, Amargosa. Em Varzedo uma casa rachou a parede. Em Mutuípe e Jiquiriçá também se ouviu e sentiu o fenômeno.

Fonte: Criativa


Santo Amaro: Professores da rede municipal cobram salários atrasados


 Santo Amaro: Professores da rede municipal cobram salários atrasados

Foto: Leitor BN / WhatsApp

Professores da rede municipal de Santo Amaro, no Recôncavo, bloquearam um trecho do centro da cidade nesta quinta-feira (25) em protesto contra o atraso de salários. Segundo informações obtidas pelo BN, o grupo – formado na maioria por profissionais com contrato temporário – criticou a demora do pagamento. Alguns professores estão sem receber salários há quatro meses, desde junho passado. No protesto, os docentes entoaram gritos de ordem, como “ô,ô, ô, respeite o professor, respeite o servidor”, “prefeito caloteiro, pague o meu dinheiro”. Por conta da situação, os docentes deixaram de trabalhar desde esta quarta-feira (24).





Moro deve aceitar ser ministro do STF caso Bolsonaro, eleito, indique o juiz federal


Moro deve aceitar ser ministro do STF caso Bolsonaro, eleito, indique o juiz federal

Cotado para ocupar uma das cadeiras do Supremo Tribunal Federal (STF) caso Jair Bolsonaro (PSL) vença o segundo turno da eleição à Presidência, o juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato no Paraná, estaria inclinado a aceitar eventual nomeação presidencial ao Supremo, por entender que a função de ministro de tribunal superior faz parte da trajetória de carreira jurídica, de acordo com a revista Valor Econômico. O magistrado não foi contatado por integrantes do núcleo mais próximo do candidato líder das pesquisas de intenção de votos para o Palácio do Planalto. Ainda segundo a revista, apesar de pessoas próximas de Bolsonaro já garantirem que Moro é o principal nome cotado para ocupar vaga no STF em um eventual governo do presidenciável do PSL, por ora não houve sequer sondagem ao magistrado que conduz os processos e inquéritos da Lava-Jato desde março de 2014.  A aposentadoria compulsória no STF ocorre aos 75 anos de idade. Em novembro de 2020, o ministro Celso de Mello, atual decano da Corte, completará o tempo de aposentadoria. Marco Aurélio Mello entrará na compulsória em julho de 2021. Portanto, se eleito, Bolsonaro poderá nomear ao menos dois nomes para completar o quadro de 11 ministros que integram o Supremo. A ministra Cármen Lúcia já afirmou publicamente que pensa em se aposentar em 2019. Nessa hipótese, Bolsonaro poderia indicar até três pessoas para o STF, caso seja eleito presidente da República em 28 de outubro. Moro não tem interesse em entrar para a política, seja pelo Executivo ou Legislativo.