São Felipe BA: Município realiza diversas atividades no encerramento das comemorações ao mês da mulher


O município de São Felipe realiza nesta quarta-feira (28/03) das 08 às 17hs, a culminância do projeto em comemoração ao mês da mulher. O evento será realizado na Praça da Igreja Matriz.

As atividades em comemoração mês da mulher no município de São Felipe, teve início no último dia 08 de março, com uma roda de conversa. Após esse primeiro momento, várias outras atividades foram realizadas, e hoje será apresentado a culminância de toda programação trabalhada durante o mês. Esta ação, está sendo realizada em parceria com as Secretarias Municipais e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Diversos serviços estarão sendo disponibilizados as mulheres, nas áreas da Saúde e assistência social. Participe sua presença e primordial.





Estudantes de Cruz das Almas apresentam projetos e alertam sobre a necessidade da conservação dos recursos hídricos


Para celebra o Dia Mundial da Água, comemorado nesta quinta-feira (22/03), estudantes de escolas estaduais estão realizando projetos que promovem a conscientização para o uso sustentável dos recursos hídricos. Durante toda a semana e, especialmente nesta quinta-feira, a comunidade escolar foi mobilizada em torno de diferentes atividades como rodas de conversa, palestras, mostra de vídeos e até caminhadas no entorno da escola, para chamar a atenção sobre os cuidados que todos precisam ter visando a conservação deste bem escasso e de uso comum de todos.

Neste ano, as ações estão associadas à etapa escolar da III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que será realizada de 7 a 9 de maio, em Salvador, e tem como objetivo alertar sobre a necessidade do uso consciente e racional dos recursos hídricos e assegurar os seus múltiplos usos pelas atuais e futuras gerações. No Colégio Estadual Doutor João Pedro dos Santos, localizado na Avenida Bonocô, em Salvador, os estudantes participaram de mais uma etapa do projeto ‘Caminho das Águas’, por meio de uma roda de conversa com o professor do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Eduardo Mendes.

Com o tema: ‘Dia Mundial da Água – Muito lero e pouco quero’, a iniciativa abordou questões como o fluxo hidrológico e a distribuição da água no planeta. “Neste bate-papo mostrei para os estudantes que nós, digo toda a sociedade, embora debatemos sobre a água e dissemos que temos uma preocupação, as ações mostram que não temos o devido cuidado com a água, porque o Brasil tem um grande manancial de água doce e ainda temos a seca. Tudo isso por conta da degradação dos recursos hídricos essenciais para a nossa sobrevivência. Portanto, sua proteção é fundamental”, contou o professor Eduardo Mendes.

O estudante Rodrigo Oliveira, 17, 3º ano, falou sobre a importância do debate. “O professor trouxe informações que até então eu não sabia, como o número de mananciais que temos no país, como a indústria age nas águas e sobre formas de preservação desse bem para a humanidade. Foi uma manhã proveitosa”, comentou.

Interior – No Colégio Estadual Eduardo Fróes da Motta, no município de Feira de Santana (110 km de Salvador), os alunos realizaram uma série de apresentações e debates seguindo diversos temas como ‘Planeta Água’, ‘Água e Agricultura’, ‘Água e Saúde’ e ‘Água e Energia’. A vice-diretora da unidade Mônica Borja, explicou que a ação pedagógica busca movimentar toda a comunidade escolar abrindo espaço para o conhecimento e para a conscientização. “Reunimos os estudantes do 5º ao 9º ano divididos em diversas atividades para discutir a importância da água. São apresentações baseadas em pesquisas que são orientadas por professores. É uma grande mobilização de toda a escola”, destacou.

Para a estudante do 9º ano, Letícia Lima, 13 anos, a discussão entre os colegas sobre temas voltados à água proporciona muito conhecimento. “Nossa turma trabalhou o assunto da água como fonte de energia. Mesmo sendo responsável na sua grande maioria pela obtenção de energia, ainda temos alternativas viáveis para maior exploração como a eólica e a biomassa, que podem contribuir para diminuir a exploração da água como único recurso”, contou.

Segundo a sua colega, Luise Barbosa, 14, também do 9º ano, os projetos ajudam o estudante a compreender mais os assuntos. “Poder trabalhar em conjunto torna o ensino mais prazeroso e com menos pressão. Isso resulta em um aprendizado divertido e que assimilamos com mais facilidade. Foi muito bom fazer parte desta discussão da água sabendo que estou contribuindo para o conhecimento de outras pessoas”, disse.

Já os estudantes do Colégio Estadual Eraldo Tinoco, no distrito de Posta da Mata, em Nova Viçosa, na Região do Extremo Sul (935 km de Salvador), realizaram caminhada pelas ruas no entorno da unidade escolar, carregando faixas de conscientização sobre a importância da água. Na atividade, foram distribuídas garrafas de água mineral. NoColégio Estadual Luciano Passos, em Cruz das Almas (a 153 km de Salvador), no Recôncavo, a comunidade escolar foi envolvida em torno de apresentações musicais, de poemas e criação de murais temáticos. ASCOM


Comunidade escolar de Santo Antônio de Jesus participa de atividades sobre a Base Nacional Comum Curricular


Como parte da escuta para a construção da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e do Currículo Bahia, técnicos da Secretaria da Educação do Estado estão promovendo o projeto ‘Faz Sentido’, nos Territórios de Identidade da Bahia. Nesta semana, a iniciativa mobilizou a comunidade escolar do Colégio Estadual Francisco da Conceição Menezes, em Santo Antônio de Jesus (a 190 km de Salvador), na Região Metropolitana.

A ação acontece por meio de rodas de diálogo com os agentes de Educação nos municípios sedes dos Núcleos Territoriais de Educação (NTE). O objetivo é a escuta dos estudantes, professores, das famílias, da comunidade e dos gestores escolares sobre a escola e o que buscam para a Educação. A diretora de Educação e suas Modalidades da Secretaria da Educação do Estado, Thamires Vasconcelos, falou sobre a metodologia do trabalho. “Dividimos esta fase em blocos, quando conversamos sobre questões que vão desde a estrutura física até as relações no ambiente escolar, passando pela aprendizagem, onde discutimos sobre a necessidade de abordar questões como gênero, diversidade, inclusão social e acessibilidade. Também falamos sobre os sentidos e emoções e questões extramuros”, relatou.

De acordo com a diretora da unidade, Joelma Nunes, a atividade contribuiu para o planejamento das atividades na escola.  “Conversamos sobre o nosso cotidiano escolar, a estrutura da unidade e os métodos pedagógicos que são utilizados para a formação cidadã dos nossos estudantes”, pontuou. O estudante Antônio Cleisson Almeida, 18, 2º ano, também falou sobre a oportunidade do diálogo. “Foi uma bela oportunidade de falar sobre meu ponto de vista em relação ao ambiente escolar e da minha relação com colegas e professores”, afirmou. – ASCOM


TRF4 julga recursos de Lula nesta segunda-feira


TRF4 julga recursos de Lula nesta segunda-feira

                                                                                                                                  Foto: Miguel Schincariol / AFP

O Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (TRF4) julga, nesta segunda-feira (26), o recurso da defesa do ex-presidente contra a decisão da 8ª Turma, que confirmou a decisão do juiz federal Sérgio Moro. Lula foi condenado por Moro a nove anos e seis meses, mas teve a punição ampliada pelo tribunal para 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no final de janeiro. Se mantida a decisão da 8ª Turma do TRF4, Lula poderá ser preso, caso o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeite o habeas corpus no dia 4 de abril. (Bahia.Ba)


Bispo de Formosa e cinco padres viram réus em ação por desvio de dízimo; juiz decide manter grupo preso


Bispo de Formosa e cinco padres viram réus em ação por desvio de dízimo; juiz decide manter grupo preso

juiz Fernando Oliveira Samuel acolheu a denúncia do Ministério Público de Goiás (MP-GO) e decidiu manter presos o bispo Dom José Ronaldo e outros cinco padres. Eles são acusados de desvio superior a R$ 2 milhões de dízimos e doações. Os dois empresários apontados como laranjas do esquema também são alvos da decisão. O prazo para prisão do grupo era temporário (válido por cinco dias) e venceria nesta sexta. O grupo está no presídio de Formosa desde segunda-feira (19), após o Ministério Público deflagrar a Operação Caifás e apontar que os detidos teriam comprado uma fazenda e uma casa lotérica com os recursos. O MP-GO não denunciou o secretário da Cúria, Guilherme Frederico Magalhães. O G1 tentou contato por telefone com o promotor responsável pelo caso, Douglas Chegury, mas não recebeu retorno até a publicação desta reportagem. O juiz determinou que Guilherme seja liberado do presídio. De acordo com a Nunciatura Apostólica (que atua como embaixada da Santa Sé), o Papa Francisco havia determinado que as contas da Diocese de Formosa fossem investigadas no início do mês, antes mesmo das prisões. O arcebispo de Uberaba (MG), Dom Paulo Mendes Peixoto, foi nomeado administrador apostólico, espécie de “interventor”. “No dia que Dom Paulo estava indo até a Formosa fazer essa visita [ordenada pelo Papa], o Bispo, Dom José Ronaldo Ribeiro, foi preso. E preso também os demais religiosos. Logo não fazia sentido Dom Paulo ir até Formosa para esta visita, uma vez que a Diocese estava sem representante, ele não teria com quem conversar”, explicou a assessoria do “interventor”. Em entrevista à TV Anhanguera, Dom Paulo afirmou que estará à disposição da comunidade e dos religiosos detidos. Ele volta para Uberaba (MG) no sábado, onde fica por tempo indeterminado, já que segue administrador lá também. “A questão que aconteceu, a Justiça é que tem que dar a sua palavra. A gente não [pode] ficar preocupado com isso não,[vamos ficar] preocupados com o povo que precisa de uma segurança, os padres, que também precisam de uma segurança. Vou estar ali com eles, [serei] mais um para somar”, afirmou.

Investigações: As investigações começaram no ano passado, após denúncias de fiéis. Eles afirmaram que as despesas da casa episcopal subiram de R$ 5 mil para R$ 35 mil desde a chegada do bispo Dom José Ronaldo. Na ocasião, o clérigo negou haver irregularidades nas contas da Diocese de Formosa. Segundo a investigação, o grupo se apropriava de dinheiro oriundo de dízimos, doações, arrecadações de festas realizadas por fiéis e taxas de eventos como batismos e casamentos. O bispo Dom José Ronaldo sempre negou as acusações. Escutas telefônicas autorizadas pela Justiça apontam que o grupo comprou uma fazenda de criação de gado e uma casa lotérica com dinheiro desviado de dízimos e doações. Na decisão que determinou as prisões temporárias, o juiz disse haver indícios de que o dinheiro era usado para despesas pessoais e que carros da Diocese de Formosa eram usados com fins particulares. Os presos estão em celas isoladas no presídio de Formosa, com direito a até duas horas por dia de banho de sol e chuveiro sem eletricidade. O G1 não localizou a defesa dos presos para comentarem o caso.

Depoimentos dos padres: Nesta quinta-feira (22), os promotores encerram a fase de oitivas. Eles colheram os depoimentos do bispo, do monsenhor e juiz eclesiástico. O órgão disse que, por enquanto, não vai divulgar o teor dos relatos por pedido da defesa dos detidos. Anteriormente, outros padres tinham dito que eram coagidos pelo bispo a compactuar com as irregularidades. O promotor Douglas Chegury já havia dito que os depoimentos eram “contraditórios” e cheios de justificativas “absurdas”.

‘Juramento de fidelidade’: Convocado após denúncias de desvios de dízimos e doações na Diocese de Formosa, o juiz eclesiástico Tiago Wenceslau forjou um relatório das contas questionadas anunciando que “auditoria rigorosa” apontou não haver nenhuma irregularidade, de acordo com o MP-GO.
“[O juiz eclesiástico] Veio [de São Paulo] com um objetivo: intimidar de forma definitiva os padres e fazer com que eles fizessem, como de fato muitos fizessem, um juramento de fidelidade ao bispo [Dom José Ronaldo, apontado como líder do esquema]”, explicou o promotor Douglas Chegury. “Chamados nominalmente, [os padres] deveriam responder se estavam com o bispo ou contra o bispo, não era com a igreja ou contra igreja. Isso aconteceu em uma reunião a portas fechadas”, completou. De acordo com o MP-GO, havia “clima de terror e opressão” e ameaças de retaliação, transferências e até perda de ministério aos clérigos que não se calassem ou não demonstrassem apoio ao bispo.

‘Mesada’ por paróquias mais rentáveis: A investigação aponta ainda que padres de Formosa, Posse e Planaltina pagavam ao bispo de Formosa, Dom José Ronaldo, para que fossem mantidos em paróquias mais lucrativas. O valor mensal da “mesada” variava entre R$ 7 mil e R$ 10 mil. “As informações que nós obtivemos é que, para permanecer nas paróquias que davam mais dinheiro, os padres pagavam uma mesada, em dinheiro, ao bispo. Um pároco, que contribuiu com as investigações, inclusive, chegou a ver esse repasse”, disse o promotor Douglas Chegyry ao G1.

Dinheiro escondido em guarda-roupa: Foram apreendidos cordões de ouro, relógios e caminhonetes da cúria em nomes de terceiros, além de uma grande quantia de dinheiro em espécie, com valor ainda não foi divulgado. Havia moedas estrangeiras, incluindo dólares americanos, dólares australianos, pesos argentinos, pesos chilenos e euros. Na casa do vigário-geral, segundo na linha de sucesso da Diocese, foi apreendida grande quantidade de dinheiro no fundo falso de um guarda-roupa. Segundo a TV Anhanguera apurou, o montante contabilizou R$ 70 mil. A quantia estava em sacos plásticos.

Prisões: O MP-GO fez à Justiça pedido de 13 mandados de prisão temporária e 10 de busca e apreensão em residências, igrejas e um mosteiro. O juiz Fernando Oliveira Samuel concluiu, no primeiro momento, haver necessidade de prisão em nove casos:

José Ronaldo Ribeiro, bispo de Formosa
Monsenhor Epitácio Cardozo Pereira, vigário-geral da Diocese de Formosa
Padre Moacyr Santana, pároco da Catedral Nossa Senhora Imaculada Conceição, Formosa
Padre Mário Vieira de Brito, pároco da Paróquia São José Operário, Formosa
Padre Tiago Wenceslau, juiz eclesiástico
Padre Waldoson José de Melo, pároco da Paróquia Sagrada Família, Posse (GO)
Guilherme Frederico Magalhães, secretário da Cúria de Formosa
Antônio Rubens Ferreira, empresário suspeito de ser laranja da quadrilha
Pedro Henrique Costa Augusto, empresário, suspeito de ser laranja da quadrilha

O nome da operação foi escolhido considerando que Caifás era o sumo sacerdote quando Jesus foi condenado a morrer na cruz, explicou o MP-GO.