Vídeo: Ex-gay, missionário Flávio diz que foi liberto dos vícios com “jejum e oração”


                                                                       Foto: Reprodução / Divulgação

Ex-gay: O testemunho de vida do missionário Flávio Amaral, que é ex-gay e ex-dependente químico, ganhou a tela da TV, em rede nacional, no programa da apresentadora Luciana Gimenez, o Superpop, na Rede TV! esta semana.

Flávio contou que passou 16 anos vivendo como um travesti, até ter um encontro com Cristo e mudar radicalmente de vida. “Não conquistei nada do que queria e estava infeliz”, disse ele.

A decisão do ex-gay Flávio Amaral foi marcada pela perseverança. Ele disse que tomou a decisão de querer gostar de mulheres e buscou isso com afinco. Entretanto, um detalhe foi determinante para o seu sucesso: “Muito jejum e oração”, disse ele.

Casos de ex-gays

O testemunho do missionário Flávio Amaral é apenas um entre milhares, onde pessoas que passaram a maior parte das suas vidas, ou toda ela, no mundo do homossexualismo, travestismos e transexualismo, mudaram radicalmente de vida, incluindo a própria orientação sexual.

Uma dos casos mais impactantes é do já falecido pastor Joide Miranda, fundador da ABexLGBTT (Associação Brasileira de Ex LGBTT), entidade que se propõe a ajudar pessoas que desejam abandonar a homossexualidade.

Jeffrey McCall é outro caso de um ex-gay que vivenciou profundamente o universo LGBT, mas que mudou radicalmente de vida. “Minha identidade inteira era baseada na homossexualidade”, disse ele.

O que diz o ativismo LGBT?

Apesar do número de ex-gays ser cada vez maior, uma vez que a informação sobre a mudança de vida dessas pessoas tem sido difundida, mesmo com toda a pressão contrária exercida pelo ativismo LGBT para abafar tais casos, muitos ainda tratam com preconceito essas minorias.

Os ativistas LGBTs argumentam que ex-gays, na verdade, são pessoas que “não se aceitam” e/ou que sofreram muita pressão da sociedade, e por isso resolveram se “refugiar” na igreja, vivendo uma vida que não condiz com quem eles realmente são.

Todavia, a verdade que o ativismo LGBT não quer admitir é que o que os ex-gays não aceitam mesmo é viver uma mentira, fruto muitas vezes de traumas sexuais vivenciados na infância, como explicou o ex-transgênero David Arthur, em outra matéria.

“Fui molestado por vários homens adultos durante toda a minha infância. Associei atenção sexual negativa à intimidade que eu desejava”, disse ele.

Em outras palavras, o trauma ocasionado pelos estupros físicos e psicológicos deturpou o entendimento de David enquanto criança acerca da sua própria identidade sexual. Ele viu no envolvimento sexual uma forma de se aproximar da figura masculina e isso foi agravado pela ausência do seu pai.

“Eu fui abraçado pelo movimento LGBT e eles me colocaram sob suas asas desde que eu era jovem e frágil”, disse ele. “Por fim, comecei a injetar hormônios femininos. Enquanto as crianças da minha idade estavam pensando em sua primeira dança na escola, meu objetivo era me tornar a melhor prostituta que eu poderia ser”.

O discurso de “não aceitação” que parte dos ativistas LGBTs só serve como crítica aos homossexuais que se tornam ex-gays, mas não existe quando se tratam de heterossexuais se declarando gays. Neste último caso, o que há é muita comemoração, e não críticas.

Por fim, a verdade é que a existência de ex-gays é comprovada por eles mesmos, como o missionário Flávio Amaral, que tendo a coragem de se expor publicamente, contou o seu testemunho, que não por acaso possui um histórico semelhante ao de muitos outros. veja mais. 

Assista:

via por Will R. Filho / Gospel Mais


Jéssica Senra é escolhida para apresentar ‘JN’ em especial de 50 anos do noticiário


A jornalista Jéssica Senra será a representante da TV Bahia na bancada do “Jornal Nacional”. A aparição da apresentadora do “Bahia Meio Dia” no noticiário noturno vai acontecer durante as comemorações dos 50 anos do jornal da Rede Globo.

De acordo com o jornalista Maurício Stycer, do UOL, a escolha por cada um dos 27 representantes, um por estado mais o Distrito Federal, foi feita através de um sorteio, conforme comunicado pelo jornalista e editor-chefe William Bonner nesta quarta-feira (24). As primeiras participações serão feitas a partir do dia 31 de agosto, nos rodízios aos sábados, mas a data em que Jéssica comandará o “JN” ainda não foi informada.

“Em nome da justiça na escolha de nomes para representar os estados de cada afiliada, essa mesma qualidade nos impediu de aplicar qualquer critério justo de seleção que não fosse o velho e bom sorteio”, disse Bonner, no e-mail enviado às praças associadas a Globo.

O UOL teve acesso na íntegra ao comuicado enviado pelo comandante do “Jornal Nacional”:

Amigos, colegas das emissoras afiliadas,

Depois de assistir aos vídeos que nos foram enviados, só pude confirmar a excelência do trabalho de vocês. A Globo é o que é por ter o seu talento e o seu profissionalismo em cada momento do dia, em cada cidade brasileira. É um orgulho pra mim, pra todos nós da Globo, que quero compartilhar com vocês. Orgulhem-se. É justíssimo.

Exatamente em nome da justiça na escolha de nomes para representar os estados de cada afiliada, essa mesma qualidade nos impediu de aplicar qualquer critério justo de seleção que não fosse o velho e bom sorteio. E acho que todos (apresentadores do Bom Dia, Praça 1 e Praça 2) ficarão contentes em saber dessa nossa avaliação.




Tino Marcos pede licença da Globo até janeiro


                                                      Foto : Reprodução/TV Globo

O repórter esportivo Tino Marcos, que esteve na cobertura da Copa América até o início deste mês, pediu licença não remunerada da Rede Globo até janeiro do próximo ano. O anúncio ocorre dias após a emissora confirmar que o colega de editoria Marcos Uchôa também vai ficar fora do ar pelo mesmo período.

O jornalista já havia pedido para se afastar anteriormente. Em 2015, ele ficou um ano sem trabalhar, com justificativa de dedicação à família e aos estudos.

Tino estreou na Globo em 1986 e já fez parte dos carros-chefe de esporte do canal, como Globo Esporte e Esporte Espetacular. Ele cobriu todas as copas que ocorreram entre 1990 e 2018. (Metro1)


Mauro Naves deve processar TV Globo após demissão, diz colunista


                                                                   O contrato do jornalista com a emissora carioca duraria até 2021. Foto: Divulgação TV Globo

A saída repentina de Mauro Naves da Globo parece ter deixado o jornalista bastante chateado com a antiga casa.

De acordo com a colunista Keila Jimenez, do R7, Mauro pensa em processar a emissora carioca por quebra de contrato.

Após 31 anos de casa, o jornalista foi demitido devido o envolvimento no caso Neymar. O contrato de Mauro só chegaria ao fim em 2021, mas a Globo optou por romper o acordo dois anos antes da data estabelecida.

Desde o anúncio da demissão o jornalista vem sendo sondado para compor a equipe esportiva de outras emissoras, entre elas canais abertos com a Record e TVs pagas.


Padre Marcelo Rossi é empurrado de palco em missa em São Paulo


Mulher empurrou padre durante missa na Canção Nova (Canção Nova/Reprodução)

O padre Marcelo Rossi foi empurrado por uma mulher de 40 anos de um palco enquanto celebrava uma missa na tarde de hoje em Cachoeira Paulista (SP), cidade a duas horas e meia da capital.

De acordo com a Canção Nova, realizadora do evento, o incidente aconteceu por volta das 15h30, durante a homilia. “Ele foi empurrado por uma mulher com problemas mentais”, informou a assessoria de imprensa da Canção Nova. A fiel viajou até o interior paulista em uma caravana do Rio de Janeiro.

Padre Marcelo caiu de uma altura aproximada de um metro e ficou no chão próximo à grade de isolamento que separava o palco do público, estimado em 50 mil pessoas. “Ele foi socorrido pela nossa equipe médica, composta por médicos, paramédicos e ambulância”, diz a assessoria.

ASSISTA O MOMENTO QUE O PADRE É EMPURRADO:

Os médicos constataram que não havia nenhuma “quebradura”. Apesar de algumas dores, o padre decidiu voltar ao palco e completar a missa. “Ele não ficou sentado. Continuou celebrando em pé, como faz normalmente”, informou a organização do evento.

O sacerdote aproveitou para tranquilizar os fiéis em um vídeo compartilhado em suas redes sociais. Ele disse que sua saúde está bem, ficou “só com uma dorzinha”. Glória a Deus, Maria passou na frente, pisou na cabeça da serpente, estou ótimo! Fiquem tranquilos. Só umas dorzinhas, isso aí é normal, não quebrou nada. Amém! Padre Marcelo Rossi.

Padre não registrou Boletim de Ocorrência

Padre Marcelo, que estudou na região de Cachoeira Paulista, preferiu não prestar queixa. A Polícia Militar levou a mulher para uma delegacia em Lorena para registrar o caso. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) se manifestou pelas redes sociais.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

– Toda nossa solidariedade ao Padre Marcelo Rossi. Deus olhe para o nosso Brasil. 🇧🇷

5.450 pessoas estão falando sobre isso

A programação previa que o sacerdote participasse ainda hoje de um encontro reservado antes de retornar para a capital paulista. O Uol entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar, mas ainda não obteve resposta.

Wanderley Preite Sobrinho / Do UOL, em São Paulo