Pastor famoso por trabalho sobre saúde mental comete suicídio no EUA

Wilson e sua esposa fundaram um programa chamado “Hino da Esperança”, projetado para ajudar as pessoas que lidam com depressão e pensamentos suicidas. “Jarrid também lidou repetidamente com a depressão e foi muito aberto sobre suas lutas em andamento”, disse Laurie. “Ele queria ajudar especialmente aqueles que estavam lidando com pensamentos suicidas”. Ele deixa sua … Leia Mais



Assassino esfaqueia a ex, invade igreja e mata mais 3 em Paracatu, MG


                                                     Foto: Ailton Pinheiro/ Arquivo Pessoal

Um homem armado, de idade ainda não informada, invadiu uma igreja evangélica na noite desta terça-feira (21) em Paracatu, região Noroeste do Estado, e matou pelo menos três pessoas. Antes da chacina, ele matou a ex-namorada com uma facada no pescoço. De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar (PM), a intenção de Rudson Aragao Guimaraes era matar o pastor que, segundo a PM, é casado com a ex-namorada dele.

A Polícia Militar (PM) dão conta de que no início da noite o homem foi até a casa da mãe dele, no Bairro Bela Vista, onde estava ex-namorada, armado com uma faca e surpreendeu a vítima com uma facada no pescoço. Ela chegou a ser socorrida por testemunhas, mas não resistiu.

Logo em seguida, o homem pulou a grade de proteção e invadiu a Igreja Batista Shalom, situada no mesmo bairro, e disparou contra os fiéis que participavam de uma reunião. Foram mortas três mulheres e um homem (pai do pastor) de idades ainda não confirmadas. Ainda conforme a PM, a intenção do atirador era matar o pastor, no entanto ele conseguiu fugir.

Militares que atendiam à primeira ocorrência foram informados de que o suspeito havia invadido a igreja e se deslocaram até o local. Ele chegou a fazer uma das vítimas como refém e os policiais tentaram negociar. Porém, ele matou a vítima instantes depois. Logo em seguida, o suspeito foi atingido por um tiro. Ele foi encaminhado em estado grave para o hospital e permanece internado.

A PM informou, ainda, que populares tentarem invadir o hospital para matar o homem, mas a multidão foi contida.

Suspeito do ataque foi baleado por militares em Paracatu e levado para hospital — Foto: Divulgação/Polícia Militar

Suspeito do ataque foi baleado por militares em Paracatu e levado para hospital — Foto: Divulgação/Polícia Militar

Homem invade igreja Batista em Paracatu e mata três fiéis, ele também esfaqueou e matou a ex-namorada — Foto: Divulgação/Polícia Militar

Homem invade igreja Batista em Paracatu e mata três fiéis, ele também esfaqueou e matou a ex-namorada — Foto: Divulgação/Polícia Militar

G1


Recém-nascida em estado grave sai da UTI após orações: “Deus é Deus de milagres


Sarah de Lima hoje, aos três meses; e, à esquerda, quando estava internada na UTI Neonatal com complicações em decorrência da hipoglicemia detectada com um dia de vida. (Foto: Reprodução/Mariane Lima)

A pequena Sarah levará algum tempo para conseguir testemunhar pessoalmente o que Deus já fez em sua vida, mas até lá, seus pais contam como viram o agir do Espírito Santo trazendo cura física e o fortalecimento de uma fé inabalável nas promessas do Senhor.

Sarah nasceu saudável às 00h03 do dia 20/11/2018, com três quilos, filha de de Mariane e Messias de Lima. Na manhã do dia seguinte, porém, a criança preocupou seus pais e os médicos.

Levada para fazer o teste de hipoglicemia neonatal, ficou constatado que a pequena Sarah estava entrando em coma por insuficiência glicêmica. Ao invés de apresentar uma taxa entre 80 e 90, ela estava apenas com 11.

Ela não tinha reação alguma, precisou ser entubada, pois não conseguia mais respirar sozinha”, contou Mariane ao portal Guiame.

Levada para a UTI neonatal às pressas, desde então uma série de complicações afetaram à recém-nascida, como convulsões e uma inflamação intestinal capaz de provocar necrose do intestino.

Mesmo com toda a medicação, os estado de saúde de Sarah foi se agravando, ao ponto da médica pedir ao pais para chamar os familiares. “Ela teve insuficiência renal aguda e teria que ser transferida para um outro hospital para fazer hemodiálise”, disse a mãe.

“Naquele momento Sarah se tornou o bebê de maior risco da UTI. Ela não tinha possibilidade de ser transferida de hospital e a doutora me pediu para chamar o pai e os avós para se despedirem, pois ela podia falecer a qualquer momento devido seu estado muito grave”, lembra Mariane.

O poder da oração em nome de Jesus

Os pais de Sarah tinham muitos motivos para entrar em desespero e questionar a Deus sobre tudo o que estava acontecendo. No entanto, ao invés disso, eles decidiram confiar e entregar a vida da filha nas mãos do Senhor, através das orações.

“Nós, como pais, estávamos em pedaços com as notícias. Mas nós dois tínhamos a paz que excede todo entendimento e a certeza no nosso coração do milagre na vida da nossa filha”, disse Mariane, destacando algo importantíssimo: “Em nenhum momento murmuramos”.

O casal não estava só. Eles puderam contar com uma rede de irmãos em Cristo que entrou em clamor pela vida de Sarah.

“[A história da Sarah] se espalhou de uma maneira muito rápida, as pessoas sentiram a nossa dor e tiveram uma compaixão extraordinária da Sarah; eu recebia áudios de pessoas chorando e orando por ela”, disse a mãe.

“Tivemos muita ajuda em oração e o amor das pessoas pela vida da Sarah me constrangeu; vi o amor de Jesus, vivi esse amor e o senti através desse momento difícil. Isso é o amar ao próximo como a ti mesmo”, lembra.

Finalmente, os sinais vitais de Sarah começaram a melhorar ao ponto de todos os sintomas desaparecerem. Até mesmo o receio dos médicos de que a criança ficaria com sequelas devido às convulsões, não se confirmaram.

No dia 25 a recém-nascida teve alta do hospital em perfeito estado de saúde. Esse foi nosso deserto, mas temos a certeza em nosso coração que ela saiu rápido de lá porque não murmuramos, não passamos um dia a mais do que éramos para passar”, destaca Mariane.

“Ela não teve mais nenhuma convulsão e não teve sequelas, pois nosso Deus é Deus de milagres. E nós vivemos com o milagre há três meses. Só precisamos confiar, acreditar e descansar mesmo que pareça impossível”, conclui.

Gospel + por Will R. Filho




Pastor acusado de pedofilia por ex é absolvido e conta terror na prisão: “Fui torturado por oito dias”


Foto: reprodução/redes sociais

O pastor Felipe Heiderich relembrou os momentos que passou na cadeia, após ter sido preso sob acusação de abuso sexual contra o filho da ex-mulher dele, a cantora gospel Bianca Toledo. Na sexta-feira (12), em entrevista ao programa Fofocalizando, no SBT, ele falou sobre detalhes do que passou na prisão e sobre o fim do casamento, em 2016. “Acordei num hospital e fui levado para uma clínica psiquiátrica, mantido em cárcere privado, dopado, amarrado e torturado por oito dias. Fiquei em um lugar com pessoas muito doidas, que urinavam nas paredes, jogavam fezes, se batiam, e imaginei que tinha sido sequestrado. Quando vinham aplicar remédios, eu mandava ligarem para a minha família”, revelou.

Segundo Felipe, após estes episódios, foi explicado para ele que ele tinha tentado suicídio e, por isso, acabou internado. Conforme o pastor, depois de passar oito dias no local, a ex, um advogado e outro pastor chegaram à clínica e propuseram que ele assinasse um papel de anulação do casamento, abrindo mão dos bens e se declarando celibatário. “Eles falaram: ‘Ou você aceita ou a gente vai te acusar de estupro de vulnerável’. Eu me recusei sem saber que dali eles iriam para a delegacia dar parte contra mim”, contou o pastor, que em seguida teve a prisão decretada e foi parar na cadeia.

“Eles me espancaram e queriam que eu falasse o número do código penal pelo qual eu estava ali. Eu não sabia e, por isso, me espancaram. O carcereiro me jogou numa cela, nu, e falou: ‘Fiquem à vontade. Quem estuprar ele não apanha hoje’. Mas eles [os presos] não fizeram nada comigo, e me deram chinelo, jogaram uma bermuda”, relembrou. Nesta semana, o pastor foi inocentado das acusações e foi liberado da cadeia após três anos preso. “Foi provado que sou inocente, mas continuei perdendo porque perdi a minha família. Recebi muitas ameaças de gente querendo me matar. Perdi 25 quilos. Agora, quero andar de cabeça erguida, pois não pude fazer isso por três anos”, afirmou. (Varela Noticias)




Terrorista ouve a voz de Cristo durante ataque: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”


Foto: Reprodução

Para algumas pessoas, a conversão a Cristo se dá nas piores circunstâncias. É o famoso “vem pela dor”, como alguns dizem popularmente. Isso aconteceu com um terrorista islâmico identificado pelo pseudônimo apenas como Shuhaib, por razões de segurança.

Shuhaib nasceu em um contexto propício para o radicalismo islâmico e consequente perseguição religiosa aos cristãos. Sua família estava entre os líderes talibãs que viviam no Afeganistão.

Assim, com apenas 17 anos e já doutrinado segundo os preceitos da jihad, ou “guerra santa” conforme a interpretação de alguns muçulmanos, o rapaz já fazia parte do grupo Estado Islâmico.

O ódio de Shuhaib contra os cristãos aumentou porque ele viu alguns dos seus irmãos serem mortos durante um ataque dos Estados Unidos ao Afeganistão, em 2001, quando a América iniciou uma verdadeira escalada de combate ao terrorismo após o atentado sofrido em 11 de setembro daquele ano.

Shuhaib, no entanto, escapou da morte junto com seu pai e sua irmã, Sameera, justamente com a ajuda dos soldados americanos.

Após o falecimento do seu pai em um acidente de carro, a irmã de Shuhaib se converteu a Cristo quando foi curada de uma enfermidade, e desde então iniciou uma campanha de oração pela vida do irmão.

O jovem terrorista em potencial se voltou para Cristo somente após a sua base ser atacada por soldados americanos. Fugindo correndo, ele sentiu alguém segurar a sua mão e dizer em seus ouvidos:  “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim”.

Ferido e socorrido pelos familiares em uma aldeia próxima, ele se deparou com um pastor evangélico que cuidava dos seus parentes. O líder religioso foi chamado para fazer uma oração por Shuhaib.

O jovem islâmico, no entanto, ao saber que seus parentes eram cristãos, tentou se levantar e ir embora, mas foi interrompido pela fala do pastor.

“Jesus salvou sua vida de uma grande tragédia. Ele não é um inimigo, mas amigo de todos. Você pode ir se quiser mas, por favor, nos deixe orar por você antes. Acreditamos que Deus te trouxe aqui por essa razão”, disse o ministro.

Ao pegar no sono novamente, por conta dos ferimentos, o jovem teve um sonho e outro encontro com Deus. “Eu sou a luz da vida, o príncipe da paz e o eterno Salvador. Eu sou o primeiro e o último. Me siga e glorifique o Pai Celestial”, ouviu ele em sonho, segundo a Bibles 4MidEast.

Shuhaib acordou e viu que Jesus Cristo é mais do que um profeta. Ele entendeu que se é a própria encarnação de Deus, o Messias prometido e Salvador do mundo. Com isso, confessou seus pecados e entregou sua vida ao Evangelho, com o apoio da sua família e do pastor. Leia mais.

Informações: Gospel + / Will R. Filho




OAB, CNBB e mais 159 entidades assinam manifesto em defesa do Supremo


                                         STF: Rodrigo Maia participou de sessão na Corte com Dias Toffoli e Raquel Dodge (Rosinei Coutinho/SCO/STF/Divulgação)

Uma série de entidades, de OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil a sindicatos de trabalhadores e instituições patronais, entregou na tarde desta quarta (3), durante sessão solene no plenário do Supremo Tribunal Federal, um manifesto para “repudiar os ataques contra o guardião da Constituição.

“O Supremo Tribunal Federal é a instância máxima da Justiça brasileira, garantidor maior dos direitos dos cidadãos, as liberdades de imprensa, de religião e de expressão, sem as quais não se constrói uma Nação. A Suprema Corte é insubstituível para o país e é dever de todos a sua defesa, pois, sem ela, nenhum cidadão está protegido, diz o texto.

O desagravo ao Supremo foi antecipado pelo Painel no último sábado (30). A sessão solene desta tarde, convocada de manhã pelo presidente da corte, ministro Dias Toffoli, substituiu a sessão de julgamentos prevista inicialmente. Entre as autoridades presentes estava o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

“A discordância, a crítica civilizada e o diálogo são inerentes à democracia, tal qual o respeito e, em última instância, a solidariedade. Por isso, são inadmissíveis os discursos que pregam o ódio, a violência e a desarmonia na sociedade e contra o Supremo Tribunal Federal, afirma o manifesto lido no plenário.

Entre os signatários estão Felipe Santa Cruz, presidente nacional da OAB, dom Leonardo Steiner, secretário-geral da CNBB, Robson Rodovalho, presidente da Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil, Vagner Freitas, presidente da CUT, Paulo Skaf, presidente da Fiesp, Vander Costa, presidente da Confederação Nacional do Transporte, Murilo Portugal, presidente da Febraban (federação dos bancos) e Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores.

O Supremo tem sido alvo de ataques nas redes sociais e de pedidos de impeachment de alguns de seus membros por motivos variados. No Congresso, senadores tentaram articular a instalação de uma CPI para investigar os tribunais superiores —iniciativa que foi batizada de CPI da Lava Toga.

No mês passado, Toffoli abriu um inquérito para apurar ofensas e ameaças contra os magistrados nas redes sociais, além de disseminação de fake news. A investigação já teve mandados de busca e apreensão cumpridos em São Paulo e Alagoas.

O manifesto das entidades diz ainda que, diante da crise e do desemprego, “o povo clama pela retomada do desenvolvimento econômico com mais emprego, justiça social e segurança.

“Com este manifesto, exaltamos a sociedade brasileira a defender o Supremo Tribunal Federal como instituição permanente, estável e indispensável para a construção de um país cada vez mais justo, solidário e responsável no presente dos brasileiros e brasileiras e as gerações futuras, conclui o texto.

Na sessão solene para a entrega do manifesto, Toffoli agradeceu às entidades o que subscreveram.

“A mesma sociedade civil que lutou na campanha das Diretas Já e que atuou ativamente na Constituinte de 1987 e 1988, fazendo seus anseios ecoarem na Carta Cidadã, é a que hoje entrega esse manifesto em defesa do Supremo: uma sociedade civil comprometida com o fortalecimento da democracia, com a defesa dos direitos e com o progresso social, disse Toffoli.

Folhapress