Quase 10 anos depois, Mário Gomes está de volta à novela da Globo

Após quase dez anos desde sua última participação em uma novela da Globo, Mário Gomes voltará a uma produção da emissora. Ele foi contratado para a novela Tempo de Amar, no horário das seis. A assessoria de imprensa da Globo confirmou a informação e disse que ele fará o papel de Eleutério, pai de Artur … Leia Mais



Presidente do TJ-BA inaugura fóruns em Itaparica e Nazaré

  A presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), desembargadora Maria do Socorro, inaugurou, nesta quinta-feira (25) mais dois fóruns em Itaparica e Nazaré. Os prédios vão oferecer melhores condições de trabalho para magistrados e servidores. Em Itaparica, o prédio dispõe de dois andares com 1.436,61m² de área construída, incluindo guarita, depositário e casa … Leia Mais


MP recomenda exoneração de funcionários por nepotismo em quatro cidades baianas

Após apurar a existência de eventuais casos de nepotismo em quatro cidades baianas, o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) determinou aos prefeitos e presidentes das Câmaras Municipais a exoneração de “todos os ocupantes de cargos comissionados, função de confiança ou função gratificada, que detenham relação de parentesco consanguíneo, em linha reta ou colateral, … Leia Mais



Operação Adsumus: TJ-BA solta ex-prefeito de Muritiba, acusado de receber propina


O juiz substituto do 2º Grau Francisco Oliveira Bispo, da 2ª Turma da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), concedeu habeas corpus ao ex-prefeito de Muritiba Roque Isquem, por entender que a prisão do ex-gestor no âmbito da operação Adsumus é ilegal. Roque foi preso no último dia 19, a partir de uma denúncia por pagamentos de propina envolvendo o serviço de limpeza pública de Muritiba, entre os anos de 2013-2015, quando foi prefeito da cidade. O pedido de prisão preventiva destaca que a liberdade dos acusados “coloca em xeque a credibilidade do Poder Judiciário”, pois o ex-prefeito passa férias no litoral baiano e Anderson Bela “se exibe como empresário da mídia ao redor da Bahia, ambos com documentação hábil a atuar em procedimentos licitatórios”, de modo a demonstrar que “o crime de colarinho branco, infelizmente, compensa”. Segundo a defesa do ex-gestor, antes de propor a ação penal, o Ministério Público da Bahia (MP-BA), pediu medidas cautelares de busca e apreensão e de prisão temporária do réu. Na época, foi concedida uma ordem de soltura por falta de fundamentos para prisão. A defesa afirma que, pelos mesmos fundamentos, sem qualquer fato novo, foi decretada a prisão preventiva de Roque para garantia da ordem pública, “diante da perniciosidade da conduta, do sentimento de impunidade, para impedir novas condutas”. Roque Luiz responde a ações cíveis e criminais por supostos empréstimos e saque de dinheiro quando era prefeito. Os advogados de Roque afirmam que ele já foi ouvido pelo MP no momento da prisão temporária, o que se permite concluir pela ausência de requisitos e de fundamentação da prisão preventiva. A defesa ainda alega que o ex-prefeito de Muritiba tem diabetes tipo B, hipertensão, esteatose hepática, problemas de circulação e espondiloartrose lombar, necessitando, assim, de repouso e de acompanhamento médico e medicamentoso, os quais seriam obstáculos dentro da unidade prisional. O magistrado substituto, na decisão, afirma que, com o fim do mandato de prefeito, é “mínima” a possibilidade de intervenção de Roque para produzir novos fatos ilícitos. “Diante das circunstâncias narradas e das ponderações sobre as mesmas, atesta este relator que, no caso concreto, inexistiu uma fundamentação suficientemente apta à sustentar o decreto prisional, não podendo se considerar a necessidade da prisão cautelar por tais justificativas, sem indicar fatos concretos que demonstrem a periculosidade do Paciente e o risco efetivo que pode causar se permanecer em liberdade”, diz o habeas corpus de soltura. Segundo a decisão de 2º Grau, o ex-prefeito de Muritiba poderá responder o processo em liberdade, com obrigação de comparecer mensalmente em juízo parai informar suas atividades e não se ausentar do endereço indicado na ação sem prévia autorização judicial. (BN)


Incêndio em hospital sul-coreano deixa pelo menos 37 mortos


O incêndio que afetou um hospital da cidade sul-coreana de Milyang deixou 37 mortos e 131 feridos, 18 deles em estado grave, segundo informou o governo de Seul. O número de mortos foi corrigido de 41 para 37 por um erro na contagem anterior, de acordo com os dados divulgados à agência Yonhap por um porta-voz do Ministério da Saúde, que acrescentou que ainda é desconhecida a origem do fogo. As chamas teriam começado na sala de emergência do primeiro andar do prédio principal do Hospital Sejong, por volta das 7h30 (horário local, 20h30 de Brasília, na quinta-feira). Os bombeiros demoraram cerca de 3 horas para apagar o fogo, que começou quando aproximadamente 180 pessoas estavam no edifício. Mais de 200 pessoas, em sua maioria pacientes que estavam no prédio no momento do incêndio, e internos de um asilo de idosos próximo, foram levadas para várias unidades médicas próximas. A polícia sul-coreana informou que fará uma investigação para determinar as causas do incidente. (Agência Brasil)


Funk conquista topo das paradas musicais com letras sobre bumbum


Anitta desfila com shortinho vermelho, calcinha de animal print à mostra e um colar dourado marcando a cintura. Sua bunda, flácida e sobressalente como as de muitas brasileiras, virou assunto nacional. Todos queriam saber: verdade ou marketing?

Com mais de 160 milhões de visualizações em pouco mais de um mês desde seu lançamento, o clipe de “Vai Malandra” traduz a nova onda das paradas musicais brasileiras: a fissura pelo bumbum –mesmo os imperfeitos, naturais, com celulites.

A temática não é novidade, mas assumiu uma dimensão sem precedentes no último ano e continua dominando as paradas musicais neste verão e pré-Carnaval.

Um levantamento da Folha mostra o aumento de aparições do termo entre as 20 faixas mais tocadas diariamente no YouTube no período de setembro de 2014 a janeiro de 2018. O pico se deu em agosto e em novembro, quando 48% delas citaram bumbum ou suas variantes.

Dos 25 funks mais tocados no Spotify nesta quinta-feira (25), 13 citavam o atributo mais famoso entre os brasileiros –em semanas anteriores, o número chegou a 16 faixas.

O bumbum aparece em suas diversas variações: da tradicional bunda, passando pelo lúdico popozão até elaboradas descrições como “circunferência perfeita que tem o poder na medida certa para te enlouquecer” (“Encaixa”, do MC Kevinho).

Considerando o ranking diário das 200 faixas mais tocadas no Spotify no último ano, o gênero que mais menciona bumbum é o funk.

Além de traçar paralelos com a forma de dançar o estilo, a palavra costuma acompanhar e reforçar as batidas do funk: “bumbum” com frequência precede ou sucede “tumtum”, por exemplo.

Destaca-se a vertente paulista, na qual atua, por exemplo, MC Kevinho, intérprete de quatro dessas faixas –”Rabiola”, “Olha a Explosão”, “O Grave Bater” e “Encaixa”.

A aproximação entre estilos musicais tem espalhado a tendência para além do funk: está, por exemplo, em “Psiquiatra do Bumbum”, do cantor de forró Wesley Safadão, lançado na sexta (12) em parceria com o cantor de pagode baiano Léo Santana.

Naquele mesmo dia, Pabllo Vittar levantou o tema em seu hit pop “Joga Bunda”.

Os clipes dessas faixas têm alavancado a audiência de canais especializados em funk. O KondZilla, do produtor Konrad Dantas, abriga boa parte das “faixas de bumbum”.

Foi o canal que lançou o clipe de “Bum Bum Tam Tam”, hit de MC Fioti que tornou-se a música mais ouvida durante 2017 no YouTube, no qual está prestes a completar 600 milhões de visualizações.

KondZilla já é o maior canal do serviço de vídeos em visualizações, mas está próximo de bater um novo recorde e se tornar o com maior número de inscritos, superando o do comediante Whindersson Nunes -ambos possuem mais de 26 milhões de seguidores.

Apesar de pop, a onda passou a ser criticada por questões como a objetificação do corpo da mulher, especialmente com “Vai Malandra”.

O debate, girando em torno de cenas em que a cantora aparece cantando e rebolando de biquíni de fita isolante em uma laje do morro do Vidigal, no Rio de Janeiro, dividiu opiniões. Alguns defendem se tratar de empoderamento feminino; outros veem objetificação do corpo e reforço de estereótipo.

OUTRAS PARTES

Enquanto o bumbum prolifera no funk –é o único gênero no qual o atributo é o mais mencionado–, demais partes do corpo ganham seus destaques em outros estilos.

Entre o top diário das 200 mais tocadas no Spotify, 43% do hip-hop nacional (composto praticamente de rap) citam o coração. Pouco atrás vem o pagode, com 42% das músicas mencionando o órgão.

O coração aparecia em 30% das 20 canções mais reproduzidas no YouTube em 2014 –no início deste ano, no entanto, detinha apenas 8%.

Já a boca tem sua maior influência no sertanejo, registrada em 21% das canções do gênero que atingiram o top 200 do serviço de streaming. No samba, o que menos menciona partes do corpo, ela figura em 5% das faixas.


Adolescente grávida é morta por dívida de drogas no interior da Bahia


A adolescente Dhessica Whinhy Batista Almeida, de 16 anos, foi morta a tiros na madrugada de terça-feira (23), em Santa Cruz Cabrália, no sul do Estado. De acordo com a Polícia Civil, o crime foi praticado por conta de uma dívida com o tráfico de drogas. Ainda segundo a polícia, a vítima estava grávida e o bebê também morreu.

A jovem caminhava em via pública quando foi interceptada por um homem a bordo de uma motocicleta. Após Dhessica se aproximar, o motociclista puxou uma arma e efetuou os disparos. A adolescente tentou fugir, mas foi perseguida e atingida. O crime aconteceu no distrito de Coroa Vermelha.

“Parece que ela estava em débito. Ela já tinha apanhado como alerta, só que depois dessa agressão, parece que ela não conseguiu efetuar o pagamento e foi assassinada”, contou o delegado Bruno Barreto ao G1.


Lula pode tentar fixar domicílio em outro país, diz juiz


O juiz substituto Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal em Brasília, aventou a possibilidade de fuga do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao determinar a apreensão de seu passaporte e proibi-lo de sair do Brasil.

Na decisão, obtida pela Folha, ele manda a Polícia Federal incluir o nome do petista no Sistema de Procurados e Impedidos [de deixar o país], visando ao cumprimento de sua ordem.

O magistrado mencionou declarações do próprio Lula e de seus aliados ao admitir que há chance de ele escapar da execução de sua pena, confirmada pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

“Entendo que a própria versão de protestos gerados em seu favor, bem como a própria declaração do acusado, que acusa o Poder Judiciário de golpe em seu desfavor, militam no sentido de que não se esquiva de uma tentativa de fixar domicílio em algum outro país”, escreveu Leite.

“Sua permanência em outro Estado seria, então, somente o exercício de um ‘suposto’ direito de defesa, ante a atuação autoritária dos poderes constituídos. Diante desta postura, entendo necessária uma atuação mais direta e eficaz para coibir este tipo de pretensão”, acrescentou.

A decisão do juiz, de caráter sigiloso, foi tomada na quinta (25), após o pedido ser apresentado pela Procuradoria da República no Distrito Federal. O requerimento foi no âmbito da ação penal na qual Lula é acusado de tráfico de influência e lavagem de dinheiro em suposto esquema para viabilizar a edição de uma medida provisória de interesse de montadoras e a compra, pelo governo de Dilma Rousseff, de caças suecos.

Os procuradores Anselmo Cordeiro Lopes e Hebert Reis Mesquita, autores da petição, sustentam que, com a condenação do ex-presidente em segunda instância, passou a existir desde a quarta (24) “risco concreto” de fuga de Lula, especialmente para países sem tratado de extradição com o Brasil ou que lhe pudessem conceder asilo político.

O documento cita a viagem para Etiópia –país sem acordo com o governo brasileiro–, que havia sido marcada pelo ex-presidente antes do julgamento. O embarque estava previsto para a madrugada desta sexta (26), mas foi desmarcado após a ordem judicial.

A Procuradoria alegou que há elementos suficientes para a prisão preventiva de Lula, mas optou por pedir, inicialmente, apenas medidas alternativas: a entrega do passaporte, com proibição de deixar o Brasil; e a restrição de deixar São Bernardo do Campo sem prévia autorização judicial.

Os procuradores solicitaram que o juiz avaliasse qual seria a melhor medida a tomar. “Caso Vossa Excelência entenda que as medidas cautelares aqui requeridas não são suficientes para a garantia da aplicação da lei penal e a supressão do risco de fuga do réu, registra o MPF (Ministério Público Federal) que as medidas cautelares criminais, inclusive a prisão preventiva, podem ser decretadas de ofício pelo juízo”, argumentaram.

Leite acolheu o pedido parcialmente, sem concordar com os pedidos de prisão e a restrição a viagens nacionais.

O juiz entendeu que os deslocamentos internacionais de Lula merecem “tratamento diferenciado”, pois há no Brasil diversas ações penais em curso contra ele tanto na 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília, quanto na 13ª Vara Federal em Curitiba, comandada pelo juiz Sérgio Moro.

Ele alegou que até as idas a países que mantêm tratado de extradição com o Brasil podem retardar a aplicação da pena fixada pelo TRF-4 e o andamento das ações ainda não julgadas.

Num dos trechos da decisão, o magistrado diz ser de “conhecimento público a divulgação de declarações em que aliados políticos do ex-presidente, visando à politização de processos judiciais, cogitam a solicitação (se necessário) de asilo político em seu favor para países simpatizantes”.

“Pelo menos nos termos da legislação brasileira, o réu não possui direito ao asilo político, e a mera tentativa de obter este acolhimento em outro Estado afrontaria a decisão já enunciada pelo TRF-4 e obstaria o andamento de várias outras em andamento nesta vara e em Curitiba”, afirmou.

Leite determinou que Lula entregasse seu passaporte em 24 horas e a inclusão, pela PF, do nome dele no cadastro de impedidos de deixar o País. Ele ponderou que a medida, por ser cautelar, tem natureza provisória e pode ser alterada, caso a defesa do ex-presidente apresente argumentos e contraindícios à Justiça. (Bocão News)