Conselho Regional Episcopal se reúne em Salvador

Os bispos das dioceses que compõem o Regional Nordeste 3 da CNBB estiveram reunidos no CTL de Salvador, até amanhã (14), para a última reunião do ano. O Conselho Regional Episcopal (CONSER) é o órgão colegial, que coordena a ação evangelizadora e anima a pastoral de conjunto do Regional. O encontro é uma oportunidade para … Leia Mais




Dra. Patrícia Pesquisadora da UCSAL participa de um dialogo com o Grupo Terço com os Homens


Na ultima segunda-feira (10/09), a advogada Dra. Patrícia, pesquisadora da Universidade Católica de Salvador participou de um encontro com o Grupo Terço com os Homens da Igreja Matriz, Paroquia São Filipe e São Tiago. O intuito da reunião foi faz um levantamento sobre a dinâmica da zona rual do município.

De acordo com as informações da Dra. Patrícia, esse estudo no município de São Felipe, se deu em virtude da coordenadora do grupo pesquisa ter encontrado um jovem de 17 anos, que saiu aqui do município para buscar uma condição de vida melhor em Salvador, e chegando lá, passou a viver em uma situação, análogo de escravo. Por essa razão se fez necessário estudar de forma minuciosa os motivos pelo qual os jovens estão abandonando a zona rural.

Durante o encontro os participantes puderam expor as razões que tem contribuído para as pessoas abandonar o campo. E os motivos citados são inúmeros, começando pela falta de politicas publicas, dificuldade na comercialização e desvalorização do produto, escassez de mão de obras, apoio técnico…

A pesquisadora apontou, que, pelo que ela tem acompanhado, as dificuldades no município, está atrelada em as pessoas ainda não saber, a força que elas têm. “As pessoas impõem dificuldade em trabalhar em conjunto, deixam os interesses políticos predominar, e esquece-se de buscar alternativas em progredir, buscar uma condição de vida melhor e com isso todo mundo sai perdendo. Existem dois caminhos possíveis, ou as pessoas se une para Conquistar aquilo que elas almejam, ou elas continuam desunidas e todos saem prejudicados. Pelo que tenho observado a consequência de tudo isso é essa falta de união, tem que se mobilização, precisam atuar em conjunto. Enquanto isso não acontece uma serie de oportunidade estão sendo deixado para trás. Mas é possível reverter esse quadro é só uma questão de querer, e ir à luta”, destacou ela.



Padre Valter convida a todos para a Festa de São Roque nesta quinta-feira (16) às 19hs


 

O padre Valter Moura, pároco da Paroquia São Filipe e São Tiago, convida a todos, para participarem das festividades de São Roque, nesta quinta-feira (16/08), às 19hs. Na Igreja de São Roque Comunidade da Jurema.

 Acompanhe o pouco da historia de São Roque:

São Roque nasceu no ano de 1295, provavelmente em Montpellier, na França. Quando ele nasceu, todos ficaram bastante surpresos por causa de uma marca em seu peito: uma cruz vermelha. Era de família nobre, distinta e abastada. Seu nascimento foi uma grande benção de Deus. Foi fruto e resultado de muita oração. Sua mãe, chamada Libéria era muito devota da Nossa Senhora. Por isso, pedia a insistentemente a Nossa Senhora a graça de poder ter um filho, mesmo já estando em idade avançada. E ela foi atendida. Por isso, imensamente grata a Deus e a Nossa Senhora, dedicou-se à educação de seu amado Roque. Ela soube incutir nele a linda devoção a Nossa Senhora.

Orfandade

Roque ficou órfão dos pais quando tinha entre quinze e vinte anos e herdou uma grande fortuna. Porém, como cristão convicto educado por sua mãe, Roque desejava viver na pobreza, em imitação a Cristo. Por isso, ele quis repartir todos os seus bens entre os pobres. E ia fazer isso em segredo, como disse Jesus. A pouca idade, porém, não permitia que ele se dispusesse de seus bens. Então, ele confiou tudo a um tio. Depois, partiu sem nada para a cidade de Roma, Foi mendigando ao longo do caminho.

Sofrimentos e vitórias de São Roque

São Roque viveu por três anos na cidade de Roma. Passava muito tempo em oração na tumba dos apóstolos. Lá ele contraiu a praga e para não ocupar mais um leito no hospital, arrumou um lugar na floresta para esperar a morte. Pela graça de Deus, ele viu nascer ali, bem perto da cabana onde vivia, uma pequena fonte de água límpida e cristalina. Ao beber e se lavar nas águas ele sentia grande alívio em suas feridas.

Outro fato interessante foi que um cachorro o encontrou e começou a levar pão para São Roque. O dono do cão, notando a regularidade com que o animal fazia isso, seguiu-o e encontrou o santo. Roque ficou curado da doença e conseguiu a conversão de seu benfeitor. Então, ele ficou um tempo em Piacenza e curava os doentes.

Dom de cura de São Roque

Chegando a Toscana, em Aguapendente, na Itália, viu a grande mortalidade causada pela peste. Então, pediu permissão ao administrador do hospital para assistir aos doentes. Logo que Roque se pôs entre os enfermos, cessou a epidemia em toda a cidade. O mesmo aconteceu em Cesena e em outras localidades. Ele curou muitos fazendo apenas o sinal da cruz. Dizia-se que a peste fugia de Roque.

Provação

Ao retornar a Montepellier, sua terra natal, não o reconheceram e ele acabou preso. Pensavam que era um espião disfarçado de peregrino, pois havia uma guerra civil. Ele ficou na prisão por cinco anos. No dia 16 de agosto de 1327, foi encontrado morto em sua cela e, então, realizou seu primeiro milagre depois de morto. O carcereiro, que era manco desde o nascimento, ficou curado ao tocar o corpo de São Roque com o pé, para ver se ele estava vivo, dormindo, ou se estava morto. Ao tirarem sua roupa para sepultá-lo, ele foi reconhecido por causa da cruz marcada em seu peito.

Devoção a São Roque

No Concílio de Constance (1414 – 1418), a praga ainda ameaçava a população. Os dirigentes pediram a proteção e a intercessão de São Roque e a praga acabou. Por isso sua canonização e seu culto foram aprovados rapidamente. As relíquias de São Roque foram levadas para Veneza. Ele é reverenciado e invocado na França e na Itália como protetor contra doenças e pragas.

Representação

São Roque é representado com um cachorro ou como um peregrino usando capa, chapéu, botas e, às vezes, segurando um cajado. Como protetor dos cães, ele é mostrado com o cachorro lambendo suas feridas.

Padroeiro São Roque

São Roque também é invocado como padroeiro dos inválidos, dos cirurgiões e do gado. No Brasil, na cidade de São Roque, interior de São Paulo, encontra-se a principal Igreja consagrada ao Santo. É onde se encontra, também, uma relíquia do santo, uma parte de seu braço. Sua festa é dia 16 de agosto.

Oração a São Roque

São Roque, que vos dedicastes com todo o amor aos doentes contagiados pela peste, embora também a tenhais contraído, daí-nos paciência no sofrimento e na dor. São Roque, protegei não só a mim, mas também aos meus irmãos e irmãs, livrando-nos das doenças infecciosas. Por isso, hoje, rezo especialmente por uma pessoa muito querida (dizer o nome da pessoa), para que fique livre do seu mal. Enquanto eu estiver em condições de me dedicar aos meus irmãos, proponho-me ajuda-los em suas reais necessidades, aliviando um pouco o seu sofrimento.  São Roque, abençoai os médicos, fortalecei os enfermeiros e atendentes dos hospitais e defendei a todos da doenças e do perigos.


São Felipe BA: Comunidade do Bom Jesus comemora a festa de seu padroeiro neste domingo


A Comunidade do Bom Jesus, Bairro Campo Elísios, comemorou na noite deste ultimo domingo (12/08), a festa de seu padroeiro. As festividades tiveram inicio na ultima quinta-feira (09/08) com a procissão saindo da Igreja Matriz com o Senhor Bom Jesus, percorrendo algumas ruas da cidade e se encerrando na comunidade, com a celebração da primeira noite do tríduo.

A culminância da das festividades teve às 17h30min coma tradicional procissão que percorreu as ruas do bairro e se encerrou às 18h40min. A santa missa foi presidida pelo Padre Valter, que em sua reflexão retratou a importância do Bom Jesus em nossas vidas.

“Precisamos refletir sobre nossas atitudes, diante da confiança depositada em nós, por nosso senhor Jesus Cristo. Sabemos que não é fácil ser Cristão, é uma exigência e não é Jesus que faz essa exigência, somos nós que precisamos ser exigentes conosco mesmo para podermos viver a fé e correspondermos ao que Deus espera de nós”, destacou Padre Valter.

Ele apontou a importância da crise em nossas vidas. “A crise é normal na vida de qualquer Cristão, e para que cresçamos em qualquer que seja o âmbito precisamos nos deparáramos com a crise. A crise é um momento de crescimento, através dela avançamos, ela nos faz refletir sobre a própria vida, e a compreendermos as nossas fraquezas, nossas pequenez, e entendermos que a caminhada é difícil, árdua, e às vezes sétimos sem forças para caminhar, mas sabemos que não podemos abandonar o barco. É preciso contar com a força e a graça do próprio Deus”, Concluiu ele.

A população de São Felipe tem uma grande devoção ao Bom Jesus, todos os anos na festa do padroeiro da Comunidade do Campo Elísios, conta com a participação de fies de varias comunidades tanto da sede como da zona rural do município. (JC Repórter)

Festa do Bom Jesus na Comunidade do Campo Elisios – São Felipe BA.

Posted by JC Repórter on Sunday, August 12, 2018

Festa do Bom Jesus na Comunidade do Campo Elisios – São Felipe BA.

Posted by JC Repórter on Sunday, August 12, 2018