São Filipe BA: Presidente da Câmara, vereador Laurinho Moura, fala sobre homenagem a Dr. Rodrigo e o título de cidadão ao deputado Alex Lima


O vereador Laurinho Moura, falou com nossa reportagem na manhã desta quarta-feira (09/05), e na oportunidade abordamos a situação de seu estado de saúde, ele nos afirmou que está bem. “Estou muito bem, posso afirmar que já atingir os 98% de minha recuperação, ainda esta semana estarei aí, em São Filipe”, apontou ele.

Ele mais uma vez, voltou a ressaltar o nome do médico, Dr. Rodrigo Nascimento, como seu anjo salvador. “Agradeço muito a Dr. Rodrigo, um profissional integro, dedicado, tem feito um trabalho excepcional em prol de nossa população, e merece todo o nosso  respeito e gratidão. Estarei fazendo uma homenagem no próximo dia 29, ele receberá uma moção pelo excelente trabalho realizado”, destacou Moura.

Outro homenageado pelo vereador é o deputado estadual, Alex Lima, que receberá o título de Cidadão Sanfilipense. “Alex, tem sido grade parceiro, juntamente com o governador, Rui Costa. Acredito nesse nosso vinculo, e ciente de que ele, irá ajudar muito o nosso município, iremos contempla-lo com o título de cidadão”, explanou-o.

Lauro, ainda destacou a conquista do poder Legislativo, em relação a uma ação judicial contra o executivo em virtude de corte no repasse. “ Quero parabenizar ao excepcional advogado Dr. Ademir Passos, pelo seu empenho e dedicação neste caso, com sua influência e otimismo, sempre convicto na obtenção de um resultado positivo, nos manteve firme nesta questão. Ele tem sido um grande parceiro de nossa gestão, nos ofertando boas orientações, sempre cauteloso e nos transmitindo segurança em nossas ações. Obtivemos uma decisão por unanime neste julgamento, que foi justo e leal, perante a Constituição Federal. Meus parabéns Dr. Ademir”, concluiu ele.







São Filipe BA: Dr. Waldir Santos escreve artigo explicando as razões por que São Filipe é com (I) e não com (E)


O advogado Dr. Waldir Santos, natural de São Filipe, ele que atualmente exerce a função de Advogado da União e Presidente do Tribunal de Ética da OAB. Explica em um artigo, pôr que o nome da cidade de São Filipe é com (I) e não com (E), com a maioria da população escreve. Veja a seguir o texto na integra com as explanações de Waldir Santos.

A lei que criou a minha cidade natal deu a ela o nome de São Filipe, em 29 de maio de 1880.

A partir da década de 1930, a pessoa que enviava os dados para o IBGE achou mais bonito escrever “São Felipe”. E quase todas as pessoas atualmente escrevem com “e”. De criança a doutor.

Ainda alcancei o ex-prefeito Gumercindo, nossa querida Dona Jacira, do Cartório de Imóveis, e Dr. Vinício, homem de vasta cultura, entre outras poucas pessoas, escrevendo corretamente. O jornal Escudo Social, que meu avô Máximo Santos colecionou no começo do século XX, trazia, nas primeiras edições, a grafia correta. Os padres da cidade sempre diferenciaram nos documentos e folhetos o nome do padroeiro (um deles) do nome do Município. Dizem “paróquia de São Filipe no Município de São Felipe”, como se não tivesse sido uma homenagem ao santo.

O fato é que as placas de carro e da estrada, os documentos oficiais dos governos, os Correios e tudo o mais, trazem a grafia incorreta. Meus amigos estudados, que têm medo de não estar com a maioria, dizem que a “língua é viva”, e que devemos falar como o povo fala. Pois é exatamente isso o que eu faço. Ninguém pronuncia São FElipe. Todos falam certo. De acordo com a lei e com a origem etimológica da palavra, que têm o prefixo grego “philo”, o mesmo de filosofia, filatelia e filantropia.

Na adolescência detalhei mais esta história em um artigo publicado no Jornal A Tarde e o prefeito me disse: “Vamos fazer uma lei e corrigir isso”.

Claro que não fez. Lei já tinha e ela está correta. É uma lei estadual. Não há nada para mudar. Falta somente ensinar o que é certo, e isso pode começar pelos professores que estão lendo este texto.

Por enquanto, que eu saiba, sigo sendo a única pessoa cujo documento de identidade tem o nome dessa cidade que tanto amamos.

(Waldir Santos)