Presidente do TSE, Fux afirma em decisão que Lula é inelegível

Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é inelegível. Em decisão publicada nesta quarta-feira (1º), Fux disse que há “inelegibilidade chapada” (evidente, notória) na eventual candidatura do petista. Em convenção no próximo sábado (4), o PT vai confirmar o nome … Leia Mais





Após incidente, Coronel cria projeto de lei para brigada de incêndio no CAB

Foto: Júnior Moreira / Bahia Notícia Durante coletiva de imprensa, realizada neste domingo (29), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), para dar as primeiras informações sobre o incêndio que atingiu o pavilhão três da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o presidente da Casa, Ângelo Coronel (PSD) revelou que desenvolveu um projeto de lei para instaurar … Leia Mais


Terceiro andar da AL-BA não passava por revisão elétrica desde 1994, diz Coronel


Destruído com o incêndio que atingiu a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) na tarde desse sábado (28), o terceiro andar do prédio era exatamente o último em reforma. A área não passava por uma revisão elétrica desde 1994, segundo informações do próprio presidente da Casa, Ângelo Coronel (PSD). “Se por acaso for detectado que foi por questões elétricas, infelizmente o tempo foi algoz com a Assembleia porque estávamos fazendo todas as reformas e estávamos no último trecho, que é no terceiro piso”, afirma o deputado estadual.

 

Ele destaca que as distorções no sistema elétrico vinham sendo diagnosticadas e foram corrigidas em 75% do prédio, considerando o primeiro e o segundo andar e a garagem. “A reforma iria trocar toda a cobertura de fibra que é um material muito inflamável, as divisórias de fibra que são muito antigas, tem mais de 50 anos, também a rede elétrica seria trocada já que tem muita sobrecarga com instalação de novos computadores e ar-condicionados. Esses prédios foram construídos há quase mais de 50 anos e a realidade de 50 anos atrás não é a mesma realidade de hoje. Então seria feito toda essa readequação que foi feita já nos outros andares”, detalhou o parlamentar.

 

Ao lado da polícia, Coronel compartilhou com a imprensa as informações já obtidas sobre o acidente, neste domingo (29). Sua estimativa é de que em até 72 horas a primeira perícia seja concluída.(BN)


Tempos modernos na corrupção eleitoral


Para quem não conhece a crueldade da política, por não morar em um bairro popular e nunca ter vivido em uma cidade pequena, vai aqui um exemplo atual e ilustrativo da realidade. “Muitas pessoas escutam coisas como: seja candidato, você é conhecido, competente, as pessoas confiam em você e sabem da sua capacidade de trabalho, da sua honestidade. A causa que você defende é importante e precisamos de pessoas assim na política.” E aí o camarada, sabendo que tudo isso é verdade, anuncia-se pré-candidato. Começa logo a ser procurado por “lideranças” que ele não conhece, mas que misteriosamente conhecem ele. E que lhe dizem: “olha, o apoio da nossa comunidade não envolve dinheiro. O que nós queremos é que o senhor seja eleito para trazer para a cidade as coisas que a gente precisa, emprego, asfalto, segurança.”.

Pouco tempo depois, quando o inocente se empolga, a conversa muda um pouco: “O senhor sabe que sem dinheiro o candidato não vai pra lugar nenhum, né? O senhor já viu alguém ser eleito sem dinheiro? A gente precisa de um mínimo de estrutura, e também tem que remunerar o pessoal que vai trabalhar pela sua eleição.”

Estrutura. Essa é a palavra que denomina o caminho pelo qual os candidatos desonestos compram o apoio de lideranças, que vendem os votos de eleitores inocentes, que, ao contrário do que se diz na imprensa e nos bares, não vão receber dentadura nem colchão.

Na Bahia, em 2018, essa tal estrutura custa, em cada município, em torno de 200 mil reais. Por aí o leitor começa a entender o quanto se rouba para ganhar uma eleição para vias tradicionais. E o tanto de gente honesta que vota em ladrão. Isso explica o fato de a quase totalidade dos eleitos terem seus votos concentrados em pacotes por zonas eleitorais. O cidadão tem 3 mil votos no Município X, mas no vizinho ele não tem um voto sequer, mesmo as cidades sendo coladas e as rádios sendo as mesmas. Isso explica por que candidato rico tem voto onde ele nunca foi e onde ninguém o conhecia antes da campanha.

O meu amigo Miguel Lucena, morador de Brasília e candidato a deputado federal, relata um caso curioso, mas comum. Uma “liderança” dos motoristas de uber pediu a ele 45 mil reais para que fossem promovidas 20 reuniões com os colegas e com moradores de Taguatinga. Nesses encontros, a ele seria permitido fazer algumas promessas, os participantes não estariam sabendo que seus votos estão sendo vendidos, e o candidato alimentaria a ilusão de que aquilo resultaria em votos, inclusive dos familiares dos motoristas. E o sistema prossegue vivo, sendo atualizado com os aplicativos.

Miguel é um brasileiro sério como poucos, um paraibano inteligente como todos, e, como jornalista, delegado de polícia e ex-advogado, bem informado. E, assim, mandou logo o espertalhão cuidar do volante.( Waldir Santos)





Após críticas, Ciro diz que foi mal interpretado em fala sobre Lula e MP


Após críticas, Ciro diz que foi mal interpretado em fala sobre Lula e MP

Foto: Fabio Motta/Estadão

Após ser criticado por juristas e analistas, o candidato à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) afirmou que as declarações de que, se eleito, colocaria o Judiciário e o Ministério Público de volta em suas “caixinhas” foram tiradas de contexto para gerar intrigas. Na ocasião, também disse que o o ex-presidente Lula “só teria chance de sair da cadeia se a gente assumir o poder”. As declarações foram dadas em Ananindeua, no Pará, onde o candidato participou da convenção estadual do seu partido nesta quarta-feira, 25, e são uma resposta às informações reveladas em reportagem do Estado.  No Pará, o pedetista disse que essa declaração foi tirada do contexto. “Quando eu disse a gente, eu não quis dizer eu. Quis dizer os democratas, os que têm compromisso com o Estado democrático de direito, com o restabelecimento da autoridade, do império da lei que, no Brasil, parece estar completamente deformada”. Segundo ele, o termo caixinha foi uma figura de linguagem usada para explicar que Judiciário e Ministério Público “não podem se meter em tudo”. “Isso é uma expressão que todo mundo conhece. Só a fraude tenta fazer esse tipo de intriga. No Brasil, está cada um trabalhando fora da sua caixa”, disse o candidato. Ciro defendeu, ainda, a necessidade de restaurar “o império da lei”. “O Judiciário julga, o Legislativo legisla e o Executivo executa. Não é possível que o Judiciário queira executar. (Não é possível) que no Brasil cada prefeito esteja subordinado ao constrangimento, à humilhação de um jovem membro do Ministério Público que, ainda que de boa fé, deforme reputações, se meta onde não deve. O País não aguenta mais essa baderna”, declarou pouco antes de subir ao palanque.  No dia 20, a convenção nacional do PDT confirmou sua candidatura ao Planalto. Ainda falta definir quem será o vice. (Estadão)





Tribunal Regional Eleitoral da Bahia absolve prefeito de Canavieiras


Tribunal Regional Eleitoral da Bahia absolve prefeito de Canavieiras

Foto: Reprodução / Blog Paulo José

Condenado por abuso de poder econômico em virtude de suposta distribuição de combustíveis e arrecadação ilícita de recursos financeiros, o prefeito de Canavieiras, Dr. Almeida (PPS), foi absolvido na tarde desta quarta-feira (25). O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) julgou o recurso apresentado pelo gestor que havia sido cassado pelo juiz eleitoral loca, no entanto, o tribunal seguiu o voto do relator, juiz Freddy Pitta Lima, que já havia votado pela absolvição do prefeito. Na sessão foi apresentado o voto-vista do juiz federal Avio Mozar, única divergência na Corte, que opinou pela manutenção da cassação. Também votaram os juízes Diego Castro e José Rotondano, que acompanharam o relator. O resultado ficou em 6 a 1 em favor do gestor, cabendo recurso para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).(BN)





Marina critica aliança de Alckmin com centrão: ‘Dilma de calças’


Marina critica aliança de Alckmin com centrão: 'Dilma de calças'

Foto: Reuters

Apré-candidata ao Planalto Marina Silva (Rede) comparou Geraldo Alckmin (PSDB) com a ex-presidente Dilma Rousseff em sua primeira transmissão ao vivo pelo Facebook: “O Alckmin já é uma espécie de Dilma de calças”. Marina criticou a aliança do tucano com o centrão e comparou com as parcerias firmadas por Dilma nas eleições de 2014, quando a petista disputou a presidência pela segunda vez. “A Dilma se juntou praticamente com os mesmos do centrão, na época estava até com o Cunha, e conseguiu 12 minutos de televisão”, completou. A ex-senadora afirmou que o centrão “sempre consegue arranjar um candidato pra chamar de seu” e criticou o desequilíbrio nos tempos de televisão. Como cita a Folha de S. Paulo, a Rede tem dificuldade para conseguir apoio e, por isso, deve ter apenas oito segundos de horário eleitoral gratuito. Já Alckmin, se confirmar a aliança com o grupo, terá cerca de 4 minutos.  “As alianças que são feitas geralmente elas são feitas com base em duas coisas entre aqueles que tem identidade programática, coerência politica para disputar o processo eleitoral, ou entre aqueles que tem grandes ambições de poder independente de coerência ou não”, afirmou. O live durou trinta minutos. Marina também respondeu a perguntas dos usuários e anunciou que fará nova transmissão nesta quinta-feira (26), às 17h. Sobre um possível vice, a pré-candidata disse que não descarta alianças, mas reforçou a possibilidade de uma chapa pura, com o deputado federal Miro Teixeira (RJ), o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, ou o economista Ricardo Paes de Barros. (Noticias ao Minuto)