Regras atuais de posse de arma são restritivas, diz Sérgio Moro

Estadão Conteúdo Foto: © Reuters As regras atuais de posse de arma são restritivas, disse o juiz Sérgio Moro, que assumirá o Ministério da Justiça no ano que vem, na gestão Bolsonaro. Em entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo, exibida na noite deste domingo, 11, o magistrado afirmou que esse “não pode ser um … Leia Mais


Equipe de Bolsonaro convida Joaquim Levy para assumir BNDES

Equipe de assessores econômicos do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), convidou o economista Joaquim Levy para presidir o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Ex-ministro da Fazenda no governo Dilma Rousseff, Levy é engenheiro naval e PhD em economia pela Universidade de Chicago (EUA). Era diretor do Bradesco até ser convidado para o cargo de ministro, em novembro … Leia Mais





Paraná Pesquisas: 82,6% dos brasileiros acham que Bolsonaro acertou ao escolher Moro


Paraná Pesquisas: 82,6% dos brasileiros acham que Bolsonaro acertou ao escolher Moro

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A Paraná Pesquisas divulgou um levantamento sobre a percepção do brasileiro quanto a nomeação do juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça. De acordo com a amostra, 82,6% dos brasileiros acreditam que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) acertou ao convidar o magistrado para o governo. Já 14,6% disseram que o capitão da reserva errou no convite. 2,8% preferiram não opinar ou não souberam. A pesquisa atinge um grau de confiança de 95,0% para uma margem estimada de erro de aproximadamente 2,0% para os resultados gerais. Nas análises das questões por localidade, o grau de confiança atinge 95,0% para uma margem de erro de 3,5% para a Região Sudeste, onde foram realizadas 880 entrevistas, 4,5% para a Região Nordeste, onde foram realizadas 543 entrevistas, 5,5% para a Região Norte mais Centro-Oeste onde foram realizadas 305 entrevistas e 6,0% para a Região Sul, onde foram realizadas 292 entrevistas.  Foram entrevistados 2.020 brasileiros em 174 municípios e em 26 Estados mais Distrito Federal, entre 3 a 5 de novembro. (BN)





Terceira cirurgia de Bolsonaro será em 12 de dezembro


Terceira cirurgia de Bolsonaro será em 12 de dezembro

Foto: REUTERS/Lucas Landau

O presidente eleito Jair Bolsonaro teve a data da terceira cirurgia marcada para o dia 12 de dezembro no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, segundo o jornal “O Globo”. Ele foi esfaqueado quando participava de um ato de campanha no Centro de Juiz de Fora (MG). O novo procedimento será feito para a retirada da bolsa de colostomia, colocada em função de lesões graves nos intestinos do capitão da reserva. Bolsonaro afirmou, em entrevista coletiva na tarde desta quinta (1º), que, por causa da cirurgia, ainda não definiu a data para a primeira viagem internacional como presidente eleito, anunciada para o Chile. “Não marquei porque tenho problema com a bolsa de colostomia. Nestas viagens longas eu posso ter algum problema. E eu não quero colocar em risco minha saúde. A princípio, a operação é no dia 12 de dezembro, três meses após a primeira cirurgia”, declarou, segundo o jornal. (Notícias ao Minuto)


Sergio Moro pode ser candidato a presidente em 2022, diz coluna


Sergio Moro pode ser candidato a presidente em 2022, diz coluna

Brasília- DF 04-08-2016 Juiz Sergio Moro na comissão especial de combate a corrupção. Foto Lula Marques/Agência PT

O juiz federal Sergio Moro pode ser o candidato à sucessão de Jair Bolsonaro a presidente da República, de acordo com a coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo. Bolsonaro tem repetido que não concorrerá a um segundo mandato. A ideia já circula entre integrantes do núcleo duro da equipe do capitão reformado. A atitude de Moro, que deve deixar a carreira, tem sido questionada por críticos dele e por integrantes do PT.


Bolsonaro recua em fusão de Meio Ambiente e Agricultura e não quer ‘xiita’ na pasta


Foto: Reprodução / Montagem / Blog do Esmael

Jair Bolsonaro (PSL) disse que, “pelo que tudo indica”, os ministérios do Meio Ambiente e Agricultura permanecerão separados, e que a pasta ambiental será comandada por alguém que não seja “xiita” na defesa do ambiente. A declaração, considera um novo recuo do presidente eleito sobre a quetão, foi dada nesta quinta (1º) em entrevista a televisões católicas. “O Brasil é o país que mais protege o meio ambiente”, falou o presidente. “Nós pretendemos proteger proteger o meio ambiente, sim, mas não criar dificuldades para o progresso”, completou, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo. Bolsonaro afirmou ainda que a ideia da fusão foi discutida e que possivelmente será modificada. “Serão dois ministérios distintos, mas com uma pessoa voltada para a defesa do meio ambiente sem o caráter xiita, como feito nos últimos governos”, diz.  O atual ministro do Meio Ambiente, o baiano de Juazeiro Edson Duarte, criticou, ao lado da bancada ruralista, a decisão de Bolsonaro de unir as pastas. Duarte assumiu o Ministério em junho deste ano com objetivo de reforçar as ações de fiscalização ambiental no país.(BN)


Nilo denuncia problemas financeiros da AL-BA; Coronel fala em ‘ponta de inveja’


O ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo (PSB), denunciou nesta terça-feira (30) que a Casa estaria passando por dificuldades financeiras. Em discurso com tom duro feito no plenário, ele disse que existe “clima de incerteza” na AL-BA, que servidores contratados via Reda serão demitidos e que os próprios deputados estaduais podem deixar de receber verba indenizatória a partir de novembro.

“Vários deputados, vários funcionários procuram informações e nem parlamentares da Mesa Diretora sabem a verdade da situação financeira da Assembleia Legislativa. Temos direito de saber a verdadeira situação financeira da Assembleia Legislativa da Bahia. Nenhum servidor pode ser demitido três meses antes e nem três meses depois da eleição. Verba indenizatória é lei aprovada nesta Casa”, defendeu Nilo.

Ele ainda alfinetou o fato de a Casa ter devolvido R$ 555 mil no ano passado, mas agora viver dificuldades financeiras. “Ano passado houve festa, deputados do governo e da oposição mostrando um cheque de R$ 555 mil, doado para uma instituição de caridade, porque a Assembleia teve superávit”, relembrou.

O presidente da AL-BA, Angelo Coronel (PSD), afirmou que o orçamento deste ano para a Casa está defasado e, por isso, vai precisar pedir suplementação ao governo do Estado para cobrir as despesas.

“O orçamento de 2018 foi aprovado há dois anos, praticamente sem reajuste em relação a 2017. Surgiram algumas despesas que não estavam no orçamento, como plano de cargos e salários, pagamento de indenização, o incêndio. Nossa equipe técnica está levantando os valores para pedir suplementação ao governo, via Secretaria da Fazenda”, afirmou.

Coronel ainda aproveitou para alfinetar o antecessor, ao relembrar que em sua gestão implementou o plano de cargos e salários para os funcionários, além de fazer acordo para não pagamento de uma dívida de R$ 1,2 bilhão.

“Saio da Casa com o coração tranquilo, porque consegui colocar o servidor para entrar de manhã e sair à tarde querendo voltar para cá com saudade. Tem pessoas que tiveram oportunidade de fazer e não fizeram e talvez fiquem com um pontinho de inveja, pois eu consegui fazer em menos de 2 anos e quem teve oportunidade não fez”, provocou. (Bahia Noticias)