Walter Pinheiro é exonerado da Secretaria de Educação

Senador até 1° de fevereiro de 2019, Walter Pinheiro, ainda sem partido, foi exonerado da Secretaria Estadual de Educação da Bahia (SEC), conforme publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (31). No Senado, existe a possibilidade da votação da  reforma da Previdência ainda este ano. O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), defende a … Leia Mais


Trump afirma que vai trabalhar com Bolsonaro na área de comércio

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje (29) que teve uma conversa “muito boa” com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Em sua conta no Twitter, Trump afirmou que os dois concordaram que Brasil e Estados Unidos “vão trabalhar juntos em comércio, Forças Armadas e em tudo mais”. O presidente americano observou que … Leia Mais


Equipe econômica de Bolsonaro quer remanejar verba do Orçamento

Folhapress Foto: REUTERS/Sergio Moraes O presidente eleito, Jair Bolsonaro, quer fazer alterações no Orçamento do ano que vem. Um de seus aliados procurou o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), poucos dias antes da eleição para sondar se ainda daria tempo de fazer mudanças após o pleito, caso o capitão reformado chegasse à Presidência. Um dos temas … Leia Mais


Datafolha para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 55%; Haddad, 45%

O Datafolha divulgou neste sábado (27) o resultado da última pesquisa do instituto sobre o 2º turno da eleição presidencial. O levantamento foi realizado na sexta-feira (26) e no sábado (27) e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos. O instituto afirma que, um dia antes da eleição, Jair Bolsonaro … Leia Mais



DEM com o pé no governo Bolsonaro


DEM com o pé no governo Bolsonaro

A cada dia que passa, o DEM se movimenta mais na direção de fazer parte formal da base de apoio do governo de Jair Bolsonaro, caso ele seja eleito. A Casa Civil já está prometida para o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS). Rodrigo Maia (DEM-RJ) avança nas negociações com os bolsonaristas para ser reeleito presidente da Câmara com o apoio do grupo. O deputado Alberto Fraga (DEM-DF) foi anunciado por Bolsonaro como seu futuro articulador com o Congresso em caso de vitória. As informações são do BR18, blog de política do Estadão.


‘Formato do programa Mais Médicos é um erro’, diz Alan Sanches


‘Formato do programa Mais Médicos é um erro’, diz Alan Sanches

O deputado estadual reeleito, Alan Sanches, líder do bloco DEM/PRB na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), aponta que resultado de projeto-piloto criado pelos ministérios da Saúde e da Educação, para validar diplomas de médicos formados no exterior, e afirma que o formato do programa Mais Médicos é um erro. Segundo o deputado, em um universo de 628 profissionais que se inscreveram para o exame de proficiência e habilitação apenas dois conseguiram aprovação para clinicar. A maioria se formou em faculdades argentinas, bolivianas e, principalmente, cubanas. “Quando o Mais Médicos foi implementado no país pelo governo do PT, o Conselho Federal de Medicina, bem como os regionais, foram contra exatamente porque os médicos que vinham de fora não faziam sequer uma prova para começar a exercer a profissão, sendo ignorado os preparos psicológico, médico e acadêmico para tal. E isso ficou comprovado agora com esse resultado de avaliação desenvolvida pelos próprios ministérios”, criticou o deputado, apelando por mudanças nos critérios do programa. “Não falo em extinção, mas em mudanças, de forma que seja exercida a boa prática da medicina em nosso país, que essa seja a prioridade. Afinal, existe uma carência muito grande na saúde pública que precisa ser suprida, mas com responsabilidade, com profissionais com qualificação comprovada. Então se querem trazer profissionais de outros países é preciso que validem esses diplomas, afinal lidam com vidas e isso não pode ser ignorado”, alertou Alan Sanches que é médico por formação. (Voz da Bahia)


Apoio a Rodrigo Maia para a presidência da Câmara ganha força no PSL


Apoio a Rodrigo Maia para a presidência da Câmara ganha força no PSL

Foto: Divulgação

Uma parte do PSL estuda manter o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no comando do Legislativo federal, e nomear Mendonça Filho (DEM-PE) ministro da Educação num gesto ao centrão. A tese que ganha força é de que seria vantajoso essas ações. O grupo que elabora propostas de governo para o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) sugeriu a ele que mantenha o Ministério da Segurança como organismo autônomo e apartado do Ministério da Justiça. (BN)





Datafolha: Eleitores votam em Bolsonaro por renovação; em Haddad por rejeição a Bolsonaro


 Datafolha: Eleitores votam em Bolsonaro por renovação; em Haddad por rejeição a Bolsonaro

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (20) apresenta as razões pelas quais eleitores vão votar em Jair Bolsonaro (PSL) e em Fernando Haddad (PT) no 2º turno das eleições presidenciais.

As respostas passam pelas propostas e até rejeição do candidato oposto. Veja:

Razões pelas quais votaria em Jair Bolsonaro:
Renovação/alternância/ mudança/um candidato novo/candidato que nunca foi presidente/ tentar outro – 30%
Porque rejeita o PT – 25%
Pelas propostas para segurança – 17%
Imagem e valores pessoais – 13%
Tem as melhores propostas/ plano de governo – 12%
Combate à corrupção/impunidade – 10%
Experiência e capacidade para governar – 5%
Pelas proposta para educação – 5%
Pelas proposta para saúde – 5%
Melhor para o Brasil/Querer o melhor/Melhorar o Brasil/Para o desenvolvimento do Brasil – 4%
É o menos ruim/pior/falta de opção – 3%
Pelas propostas para gerar empregos – 3%
Pelas propostas da área econômica – 2%
Porque rejeita Haddad – 1%
Esperança de melhorias/ otimismo – 1%
Por ele ser contra/ ter fim a ideologia de gênero/ homossexuais – 1%
Família toda vota no candidato/ família quer que vote no candidato/ marido/ esposa vai votar nele/ amigos – 1%
Outras respostas – 11%
Não sabe – 1%
Nenhuma razão específica – 1%

Razões pelas quais votaria em Fernando Haddad
Porque rejeita Bolsonaro – 20%
Tem as melhores propostas/ plano de governo – 15%
Por ideologias do partido – 13%
Experiência e capacidade para governar – 11%
Por causa do Lula – 11%
Imagem e valores pessoais – 7%
Governo voltado para o povo/ pobres/ pensa mais na população pobre – 6%
Pelas propostas para educação – 6%
É o menos ruim/ pior/ falta de opção – 4%
Pelas propostas para gerar empregos – 4%
Melhor para o Brasil/Querer o melhor/melhorar o Brasil/Para o desenvolvimento do Brasil – 3%
Pelas propostas para saúde – 3%
Pelos programas sociais – 3%
Pela democracia/ democracia s/esp. – 2%
Pelas propostas para segurança – 2%
Pelas propostas da área econômica – 1%
Renovação/ alternância/ mudança/ um candidato novo/ candidato que nunca foi presidente/ tentar outro – 1%
Vai trabalhar/ olhar pelo Nordeste – 1%
Por ser contra o fascismo/ ditadura/ ter medo do fascismo – 1%
Família toda vota no candidato/ família quer que vote no candidato/ marido/ esposa vai votar nele/ amigos – 1%
Outras respostas – 10%
Não sabe – 3%
Nenhuma razão específica – 2%
Recusa/ não respondeu – 1%
Foram entrevistados 9.137 eleitores em 341 municípios, nos dias 17 e 18 de outubro. A pesquisa Datafolha foi contratada pelaTV Globo e Folha de S.Paulo e a margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos.





Operação Lava Jato: primeiro político sentenciado, André Vargas é solto


Operação Lava Jato: primeiro político sentenciado, André Vargas é solto

O ex-deputado federal pelo PT, André Vargas, foi solto nesta sexta-feira (19) por decisão da 2ª Vara de Execuções Penais de Curitiba. Segundo informações do G1, ele foi o primeiro político sentenciado em um processo da Operação Lava Jato. A juíza Luciani de Lourdes Tesseroli Maronezi concedeu a liberdade condicional após o cumprimento de 37% da pena imposta na primeira condenação, demonstrar comportamento satisfatório na prisão e comprovação do começo do pagamento da reparação de danos de R$ 1.103.950,12. Vargas foi preso na 11ª fase da Lava Jato, em abril de 2015. Ele foi detido Complexo-Médico Penal (CMP) em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. (BN)