São Felipe BA: Secretária de Saúde Laurijane, Coordenadora epidemiológica Gleise e Fernando Moreira

Gleise Nunes, Coordenadora da Vigilância Epidemiológica Municipal de São Felipe, é especialista em Saúde Pública e Sanitarista. Fernando Moreira é formado em computação, tem 7 prêmios estaduais de inovação pelo IFBA e 1 prêmio nacional pela Revista a RedeEduca, por utilização de tecnologias de baixo custo para solucionar diversos problemas. Juntos criaram o projeto Aedes … Leia Mais


São Felipe BA: informativo da Embasa referente a falta d’água


O gerente local da Embasa, Cristiano Moura, informou a redação do site JC Repórter, nesta terça-feira (09/07), que o abastecimento ficou comprometido em toda cidade em virtude de falta de energia. Ainda segundo Cristiano uma reclamação foi aberta para relatar o fato junto a Coelba, e que a previsão dada para regularização da situação foi para amanhã partir das 08hs da manhã . ” Pedimos a todos que controle o uso da água, até a situação ser normalizada”, pontuou Cristiano.





Inema inicia a IIª Rodada de Consultas Públicas do Plano de Bacias do Recôncavo Sul


O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) deu início na manhã desta segunda-feira a uma série de consultas públicas realizada através do Comitê das Bacias Hidrográficas do Recôncavo Sul, a II° Rodada de Consultas Públicas para construção do Plano de Recursos Hídricos e Proposta de Enquadramento dos Corpos de Água das Bacias Hidrográficas do Recôncavo Sul (PRHRS e PERS), que acontece nos dias 08, 09 e 10 deste mês. O evento tem por objetivo apresentar as ações, programas e metas do plano de gestão das águas.

Pouco mais de 50 pessoas participaram do evento e, além de representantes locais, também esteve presente a prefeita de Itaparica, Marlylda dos Santos.

Para o diretor de águas (DIRAG) do Inema, Eduardo Topázio,  pedir, solicitar e pressionar é papel fundamental da sociedade. “Eles devem cobrar sempre da gente, devem pressionar para que os planos sejam efetivamente executados, esse é o grande desafio daqui para frente. Essa Consulta Pública e o Comitê de Bacias são projetos elaborados para a sociedade, e a nossa sociedade espera e tem expectativas de que as propostas sejam efetivadas. Sabemos como é difícil ter orçamento, preparar orçamento e executar o aprendiz. Não é nada bem planejado a longo prazo, mas é o início de uma longa jornada”, disse Topázio.

Segundo Sílvio Santos, secretário do Comitê de Bacias e técnico do Inema, essa etapa do plano de recursos hídricos é de suma importância para a consecução do que está sendo construído ao longo desses anos. “O consórcio Águas da Bahia tem feito um trabalho salutar em todas as Bacias, e o Comitê tem recebido através das câmaras técnicas os produtos que tem sido elaborado por eles, tem  analisado e tem feito os ajustes e observações que julgam necessárias. Vale salientar que nas câmaras técnicas temos pessoas que são das Bacias e por isso conhecem a realidade in loco, e essas Consultas Públicas vieram para que todos os atores sociais dos 56 municípios possam colaborar nas discussões e nos ajustes apresentados”, explica Sílvio.

Santos ressalta ainda que a programação foi feita de forma que todas as Bacias possam ser contempladas efetivamente. “O plano de Recursos Hídricos e o Enquadramento dos Corpos de Água estão sendo realizados conforme reza a legislação, sendo participativo. Não é um produto que é feito por alguém e entregue a população. Não, a participação popular é de fundamental importância para validar o que está sendo realizado”, salienta.

Os encontros serão abertos ao público, que poderá contribuir com opiniões, sugestões e questionamentos. É esperada a participação da população dos municípios de Santo Antônio de Jesus, Amargosa e Gandu.

Plano de Bacia Hidrográfica é um instrumento previsto nas Políticas Nacional, Lei Nº 9.433/97 e na Estadual, Lei Nº 11.612/09. São planos diretores, de natureza estratégica e operacional, que têm por finalidade fundamentar e orientar a implementação da Política Estadual de Recursos Hídricos, compatibilizando os aspectos quantitativos e qualitativos do uso das águas, de modo a assegurar as metas e os usos neles previstos, na área da bacia ou região hidrográfica considerada.

A elaboração desses instrumentos considera, como elemento fundamental de sua metodologia, a participação social, estabelecendo relação de integração entre a comunidade e as equipes de trabalho. (Inema)





São Felipe: Ex-prefeito diz que recursos de obras investigadas pelo MPF eram gerenciados pelo Estado


O ex-prefeito Francisco Andrade Ferreira, da cidade de São Felipe, a 178 km de Salvador, enviou um posicionamento ao BNews após o site divulgar que o Ministério Público Federal (MPF) instaurou um inquérito civil para investigar supostas irregularidades na construção de 60 casas do programa Minha Casa Minha Vida, na gestão dele.

Segundo o ex-gestor, a gestão dos recursos destinados pelo governo federal para a execução das obras não passam pela Prefeitura, mas sim pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Sedur). Ele ressaltou ainda que a licitação para a contratação da empresa responsável pelas obras foi feita pela própria Sedur.

“A participação da prefeitura é apenas autorizando que as obras sejam realizadas no município. Contudo, a parte financeira não é de responsabilidade do prefeito”, explica Chiquinho, como é popularmente conhecido no município. O ex-gestor afirma que já levou informações ao MPF e à própria Sedur e ressalta que está disponível a prestar quaisquer outras informações que sejam necessárias para auxiliar nas investigações. (BNews).