SÃO FELIPE BA: COMUNICADO IMPORTANTE DA COELBA

A Coelba informa à população de SÃO FELIPE que irá realizar um desligamento programado no fornecimento de energia elétrica nesta Terça dia 03 de Julho de 2018 das 09h 00min às 15h 00min. Serão atingidas as seguintes localidades:  RUA JOSÉ JOAQUIM SEABRA, II TRAVESSA J J SEABRA . O desligamento será necessário para que técnicos … Leia Mais










Comissão formada por diversos segmentos da sociedade em prol da reabertura da agência do BB, no município de São Felipe se reúne com Superintendência em Salvador


Uma comissão formada por diversos segmentos da sociedade em prol da reabertura da agência do Banco do Brasil no município de São Felipe, participaram de uma reunião na ultima segunda feira, dia 18, às 14hs, na Superintendência  regional em Salvador. A reivindicação da Comissão é que o Banco volte a trabalhar com numerários. A reunião foi presidida pelo superintendente regional Sérgio Soares de Oliveira Neto, representando o Banco do Brasil, ele estava acompanhado pelos colegas, Sra. Luciana Ferreira Lacerda e Sr. Luís Paulo Góes de Menezes.

De acordo com informações de Edvaldo Barbosa um dos participantes da reunião, ele cita que o pessoal do Banco demonstra estarem cientes de todo empenhos organizados pelas lideranças políticas e civis da comunidade em prol do pleno funcionamento da referida agência como, por exemplo, a fundação do CONSEG, a criação de leis específicas de segurança, efetivação de delegado de polícia civil, dois policiais civis investigativos entre outras medidas, sendo todas orientadas pelo Banco.

Participaram da Reunião com Comissão além do pessoal do Banco, representantes: SBBA (Sindicato dos Bancários da Bahia): Jussara Barbosa – Secretária Geral, José Silva – Diretor, Aguinaldo Matos – Diretor de Formação, Fábio Lêdo – Diretor Jurídico e Reinaldo Martins – Diretor Regional; Feconseg (Federação dos Conselhos de Segurança do Estado da Bahia): Sr. Francisco, Conseg São Felipe: Edvaldo Cerqueira; ACESFE (Associação Comercial e Empresarial de São Felipe): Ana Lúcia Barbosa; Câmera de Vereadores: Antônio Bispo; Executivo municipal: Antônio Jorge Macedo (vice-prefeito); Igreja Católica (Paroquia São Filipe e São Tiago- Diocese de Amargosa): Irmã Filipa; Dr. Waldir Santos, como advogado.

“Queremos um banco sem restrições, ou seja, com o serviço de numerários, fato que hoje está vetado”, destacou Edvaldo comentando a luta pela reabertura plena do Banco.

Ainda de acordo informações de Barbosa, após explicações apresentadas pelos representantes do Banco do Brasil, o Sr. Reinaldo fez um breve resumo de toda situação incômoda por que passam os moradores da cidade de São Felipe, explanou com riqueza de detalhes todas as ações desenvolvidas para favorecer o funcionamento normal da agência, comentou sobre o clamor da sociedade sanfelipense em conquistar esta justa reivindicação e sua disposição em participar de movimento social em forma de protesto com mobilização de caravanas até à sede da superintendência. Em seguida, todos os demais participantes contribuíram com suas opiniões e relatos importantes para melhorar a compreensão da situação, afirmando o total apoio às orientações e sugestões dadas por Reinaldo e acrescentando ainda a disponibilidade em se criar uma comissão formada por diversos segmentos da sociedade para ir à Brasília buscar a aprovação definitiva.

.

Com a explicação da superintendência de que não havia nenhuma novidade quanto ao uso de numerários até o momento e para concluir este encontro com objetividade, Reinaldo propôs um prazo de 5 dias para a resposta definitiva sobre as reivindicações, para assim as entidades poderem nortear as ações, porém Soares solicitou um prazo maior. Como decisão final, foi concedido 30 dias corridos para que o Banco do Brasil dê sua decisão final sobre o futuro da agência, a partir desta resposta é que se poderá saber quais os rumos a serem tomados pela sociedade.

A título de reflexão, a comissão questionou alguns posicionamentos defendidos pelo banco no decorrer da reunião, dentre eles é possível destacar o argumento dado pela superintendência de que a não utilização de numerários é uma medida adotada pelo banco que, entre outras coisas, protege o cidadão por não pô-lo em risco de sofrer alguma agressão de bandidos, visto que não há dinheiro. Como bem disse Dr Waldir Santos, esta atitude do banco é que deixa a população em risco de sofrer violência, pois tem que se dirigir a cidades vizinhar para sacar o efetuar depósitos para manter sua vida financeira em ordem, enfrentando estradas sem a devida conservação, ficando cada vez mais vulnerava.

A não utilização de numerários infringe qualquer compreensão logica de funcionamento de uma instituição bancária, situada em uma cidade pequena, que há mais de trinta anos convive realizando transações comerciais e financeiras de diversos tipos e que radicalmente é quebrada por esta retaliação, motivada pela violência externa, de bandidos organizados em quadrilhas, que atuam em todo o território nacional e que não é exclusividade nem tão pouco peculiares aos moradores da cidade de São Felipe. Quem deveria ser punido é o infrator, não a vítima, pois a maior vitima de tudo não é o banco, mas seus correntistas. A realidade atual da cidade difere em muito daquela quando os criminosos a escolheram com alvo fácil, até a própria estrutura da agência evoluiu bastante com a implantação de grades de ferro na entrada, reconstrução do fundo do prédio com estrutura reforçada e segura, antes totalmente vulnerável a ataques, entre outras implantações internas que o próprio banco conhece melhor. Aliado a este esforço do banco estão as medidas acima adotadas pela comunidade, que inibem os bandidos quanto a escolha desta agencia em comparação a outras que ainda apresentam maiores facilidades de acesso. A situação de se ter um banco funcionando desta forma é inconcebível para grande maioria dos brasileiros, segundo pesquisa publicada pelo portal UOL no endereço: https://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2011/01/11/principais-funcoes-dos-bancos-sao-a-movimentacao-e-o-deposito-de-dinheiro.jhtm , “para 62,1% dos brasileiros de todo o País, as principais ações do atendimento bancário são a movimentação e o depósito de dinheiro, de acordo com o SIPS (Sistema de Indicadores de Percepção Social), elaborado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada)”. A população brasileira ainda não está preparada para viver sem acesso ao dinheiro moeda, o uso de meios eletrônicos vem crescendo, porém com maior força nos grandes centros econômicos, mas muito timidamente em cidades menores, além do mas grande parte dos usuários dos serviços bancários tem dificuldades de lidar com a tecnologia e ainda trabalham no sistema pegar o dinheiro e cumprir seus compromissos.

Quanto à mobilização de se organizar uma caravana a Salvador em busca do objetivo, foi uma ideia defendida em uma sessão da Câmara de Vereadores do município de São Felipe, com clamor dos presentes e repercussão positiva em todos os segmentos da sociedade. Esta atitude seria a última escolha de reação a ser adotada, todavia é uma real possibilidade. Pela própria declaração proferida pelo superintendente, há o reconhecimento do valor dessa agência, 2616-6, da luta de sua sociedade, tanto é que a orientação superior seria o fechamento da agência, mas em função de sua influencia positiva, foi alterada a condição de fechamento para funcionamento sem numerários. O fato é que, esgotando-se todas as tentativas e possibilidades de reverter esta decisão, o Banco do Brasil ainda continue com este posicionamento, não restará outra alternativa, a não ser a mobilização popular, com a fundamental participação do SBBA, mesmo que o tal apoio que hoje é oferecido pela superintendência seja perdido, que ela passe a não mais valorizar esta causa como medida de evitar a proliferação de eventos desta natureza, por outras cidades, motivadas pelo possível sucesso desta ação, o grupo afirma que assumirá todos os riscos em prol de uma agência completa, direito adquirido e que não deve ser confiscado por qualquer que seja o pretexto.