Evento em comemoração ao dia mundial do Autismo é realizado em São Felipe

As equipes do NAP (Núcleo de Apoio Pedagógico) e NASF (Núcleo de Atenção a Saúde da Família) realizaram na tarde desta ultima terça-feira (02/04), no auditório da Câmara Municipal de Vereadores, uma roda de conversa em comemoração ao dia Mundial do Autismo. “As lutas por mais direitos e menos preconceitos na sociedade”, esse foi tema … Leia Mais



Mudanças na alimentação podem evitar o aparecimento das varizes


Foto: Vasyl Dolmatov/Thinkstock/Getty Images

Elas nem sempre são aparentes. E também não necessariamente causam dor e desconforto em quem as têm. As varizes, vasinhos e veias dilatados que comumente afetam os membros inferiores, são causadas por problemas circulatórios e, apesar de consideradas crônicas (ou seja, sem solução definitiva), podem muito bem ser evitadas e combatidas com hábitos mais saudáveis e uma alimentação equilibrada. Fatores genéticos são os principais desencadeadores das varizes, mas hormônios desregulados (não é à toa que mulheres grávidas sofrem com inchaços nas pernas), pouca hidratação, sedentarismo, tabagismo e obesidade também contribuem para a má circulação do organismo. “Quando há sobrepeso, por exemplo, o maior volume abdominal faz com que haja um aumento na pressão dos membros inferiores, dificultando o retorno venoso”, explica a cirurgiã vascular Cláudia Fiorini, de São Paulo. Sim, a gente sabe que ainda não existe um método milagroso que acabará com o problema de uma vez por todas. Mas fazer exercícios regularmente, tomar muita água e manter a dieta em dia são práticas de sucesso para adotar na rotina já. Ainda mais se seu cardápio estiver repleto destes alimentos aqui:

Fibras

Se o intestino não trabalha bem, parece que o corpo todo sente, não é? E o bom funcionamento do sistema digestivo ajuda a manter a circulação sanguínea em dia. “Além disso, a prisão de ventre causa um aumento da pressão abdominal, o que consequentemente prejudica nossas coxas e pernas”, diz Cláudia. O segredo para isso não ocorrer é apostar nas fibras. “Vá nas folhas verdes-escuras e em muita água”, explica a nutricionista Maria Clara Pinheiro, do Rio de Janeiro. Aliar o consumo do líquido com as fibras é imprescindível, caso contrário, o efeito pode ser bem indesejado: ficar dias sem ir ao banheiro! Alguns exemplos são: couve, grãos e farelos no geral (aveia, arroz integral, linhaça) e os cereais.

Alimentos anti-inflamatórios

A gente já sabe que sal em excesso contribui muito para a formação dos edemas (retenção de líquido) e, consequentemente, para o inchaço dos membros. Substituí-lo por especiarias na hora de temperar a comida pode ser uma boa opção para você. “A cúrcuma, além de saborosa, possui ações anti-inflamatórias”, diz Maria Clara. E preferir as comidas que trazem esse benefício também é ótimo para combater as varizes. Elas promovem uma limpeza dos vasos sanguíneos e diminuem os riscos de inflamações. Valem os peixes ricos em ômega 3 (atum, salmão, sardinha), linhaça e cebola.

Alimentos antioxidantes

E para veias e vasos não dilatarem, nada melhor do que fortalecê-los. Esse é o papel dos antioxidantes. “Eles ajudam a proteger as paredes venosas”, explica a nutricionista. Você pode encontrar a propriedade as frutas vermelhas (morango, ameixa, framboesa), frutas ricas em vitamina C (laranja, acerola, kiwi) e aquelas com licopeno (melancia e tomate).

Potássio

Ele disputa com o sal na concentração sanguínea: quanto mais potássio presente no sangue, menos sal, e vice-versa. Portanto, nada melhor do que apostar na banana, damasco, abacate, melão e na beterraba para dizer adeus à retenção! (Boa Forma)


Em teste com humanos, anticoncepcional masculino funciona com sucesso


Foto: UNSPLASH

Está cada vez mais próxima a realidade em que os homens também poderão tomar pílulas como método contraceptivo. Um estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism teve sucesso na fase 1, que é a etapa na qual a droga foi testada pela primeira vez em humanos para detectar o seu grau de segurança e efeitos colaterais. Participaram da pesquisa 40 homens saudáveis do laboratório LA BioMed da Universidade de Washington, localizado em Seattle, Estados Unidos. Todos tomaram uma pílula —  conhecida como 11-beta-MNTDC —  em diferentes doses durante aproximadamente um mês.

De acordo com os pesquisadores, a pílula  tem uma “composição irmã” em relação a outro experimento para desenvolver um contraceptivo masculino —  o DMAU —  divulgado ano passado. O medicamento contém uma forma de testosterona que combina as ações do andrógeno e da progesterona. O andrógeno é um hormônio masculino que ajuda a neutralizar as quedas dos níveis da testosterona. A progesterona, por sua vez, bloqueia a produção dos hormônios luteinizante ( LH) e folículo-estimulante ( FSH), que ajudam na produção do esperma e da testosterona.

Resultados
Os homens que participaram do estudo provavelmente tiveram diminuição na produção de esperma, embora notar tal informação não fosse o foco dos pesquisadores: para constatar a queda da produção, seria necessária uma observação de meses.

Os cientistas notaram, no entanto, mudanças nos hormônios que causam uma diminuição na produção de esperma suficiente para que houvesse uma ação contraceptiva eficaz.

De acordo com os pesquisadores, as repercussões negativas causadas pela ingestão do medicamento foram poucas. Embora alguns dos homens — a minoria —relataram fadiga, acne e dores de cabeça, além disfunções eréteis e menor desejo sexual, de modo geral, a libido dos participantes não diminuiu e bastou interromper o tratamento para que os efeitos contraceptivos terminassem.

“Nossos resultados sugerem que essa pílula, que combina duas atividades hormonais em uma, diminuirá a produção de esperma enquanto preserva a libido”, registrou em comunicado a pesquisadora Christina Wang, do Instituto de Pesquisa Biomédica de Los Angeles e do Centro Médico Harbor UCLA.

A pesquisa, no entanto, ainda está em continuação, abrindo espaço agora para testes com casais sexualmente ativos e resultados mais elaborados. “Um novo método contraceptivo masculino reversível e seguro estará disponível em aproximadamente dez anos”, afirmou Wang. (Galileu). Leia mais…