Em carta, governadores do Nordeste mantêm medidas preventivas ao coronavírus após Bolsonaro pedir fim de isolamento


Consórcio Nordeste é liderado pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT) — Foto: Gov/BA

Os governadores dos nove estados do Nordeste divulgaram, na tarde desta quarta-feira (25), uma carta em que afirmam que vão manter as medidas preventivas já tomadas com relação ao novo coronavírus, mesmo após o presidente Jair Bolsonaro pedir o fim do isolamento social.

No documento, o Consórcio Nordeste, que é liderado pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT), pontua que as determinações continuarão válidas de acordo com os registros dos órgãos oficiais de saúde de cada estado.

Entre as medidas tomadas pelo governo da Bahia estão o fechamento de escolas, suspensão de voos de/para cidades com registro de contaminação e fechamento de rodoviárias. Veja todas as medidas aqui.

Os governadores ponderam ainda que é “um momento de guerra” contra uma doença altamente contagiosa e “com milhares de vítimas fatais” em todo o mundo, e que a decisão prioritária foi a de “cuidar da vida das pessoas, não esquecendo da responsabilidade de administrar a economia dos estados”.

Ainda no documento, os nove governadores se disseram frustrados com o posicionamento agressivo da presidência da república e disseram que ele “deveria exercer o seu papel de liderança e coalizão em nome do Brasil”.

Na noite de terça-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro disse, em pronunciamento oficial, que os meios de comunicação espalham uma sensação de “pavor” e que, se contrair o vírus, não pegará mais do que uma “gripezinha”.

O governador Rui Costa já havia se manifestado contra a fala do presidente Jair Bolsonaro na noite de terça-feira (24), após o pronunciamento do presidente.

“Não é gripezinha. Vou continuar trabalhando em defesa da vida. Olhar nos olhos das pessoas e dizer: estamos numa guerra. ACORDA. Temos que vencê-la. Chega de discurso vazio e delírios. Vamos trabalhar mais e mais. Responsabilidade. Todos contra o coronavírus”, disse em uma rede social.

Outras autoridades da Bahia, como o prefeito de Salvador, ACM Neto, também se manifestaram após a fala de Bolsonaro. Até a manhã desta quarta-feira (25), quando o último boletim da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) foi divulgado, o estado tinha 84 casos confirmados da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. (G1/Ba)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *